buscar
por

Procissão Fotográfica

O retrato da fé e da devoção do povo capixaba na maior festa religiosa do Estado exposto no trecho da Rua Antônio Ataíde, que dá acesso ao Convento e à Prainha, locais onde milhares de fiéis se reúnem para a Festa de Nossa Senhora da Penha. Desde 2012, é ali que o trabalho e dedicação de alunos ganha visibilidade e reconhecimento do público participante, que pode se encontrar em alguma das imagens, no caminho percorrido tantas vezes em oração nas romarias.

É na constante busca de envolver os alunos do curso de comunicação em uma experiência de reportagem fotográfica, que o projeto de extensão da Faesa, Procissão Fotográfica, chega ao 9º ano, sob coordenação da professora e fotógrafa Zanete Dadalto. Para além do conhecimento técnico, a experiência provoca sentimentos e emoções em quem está envolvido, até mesmo em quem admite não ter religião: “é comovente ver o olhar do próximo, a importância que aquela devoção tem para a pessoa e a manifestação da fé na Festa da Penha”. A declaração é do aluno de Publicidade, Bruno Barros, que está no 7º período e participa da ‘Procissão’ desde 2012.

Para quem entrou despretensiosamente no projeto, apenas por curiosidade e pela paixão pela fotografia, o estudante já é presença garantida no evento, inclusive no próximo ano, quando já estará formado. Para Bruno, o que mais o impressiona é a união das pessoas pela fé, expressa, principalmente na romaria dos homens, quando a multidão caminha lado a lado, cada qual com suas motivações.

Bruno também comenta que a grande satisfação é retratar as manifestações da religiosidade e perceber como as pessoas gostam de ser vistas, a forma com que valorizam o trabalho produzido, e é pensando e observando cada gesto singular dos fiéis, que ele procura retratar por meio da fotografia. O registro que Bruno escolhe como o seu favorito está na página ao lado. “As mulheres carregando a imagem, a devoção e emoção delas foram de um grande significado para mim”.

O projeto

Um grupo de 50 alunos realiza a cobertura fotográfica e jornalística da Festa da Penha. A atividade acadêmica resulta no maior acervo fotográfico de eventos no Espírito Santo e é apresentada ao público em exposições, no jornal impresso Tendências e no jornal online Faesa Digital. A Festa é documentada desde os preparativos, o Oitavário e todas as romarias que levam milhares de pessoas ao Convento. Durante o evento, os alunos interagem com os fiéis, entrevistam, fotografam e filmam os romeiros, põem-se em contato com os organizadores dos festejos e com os moradores do entorno do morro do Convento. Para a coordenadora Zanete, o mais importante é o aluno “vivenciar na prática o que ele vive na academia e aprender que quem faz jornalismo não pode ter preconceito religioso nem político. É interessante também ver que eles percebem e se emocionam com a fé do povo capixaba, isso dá um conhecimento real sobre a nossa cultura e nossas tradições”. A fala de Zanete é endossada por Bruno: “é um trabalho de grande importância para a memória cultural, social e religiosa do Espírito Santo, muito bem coordenado e orientado pela professora, por quem tenho grande admiração”.

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS