buscar
por

PERGUNTE A QUEM SABE

As perguntas desta edição foram feitas ao Arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, por ouvintes da Rádio América. Você também pode participar com suas dúvidas. Envie sua pergunta para nosso e-mail: mitra.noticias@aves.org.br e confira a resposta nas próximas edições.

Bianca de Rio Formate, em Cariacica.
Como começar a leitura do catecismo da Igreja Católica?

O catecismo é a síntese de todo o ensinamento da Igreja. O catecismo tem quatro partes. A primeira parte diz respeito à profissão da fé. Nela você vai aprofundar o seu conhecimento sobre a fé cristã católica. Você vai aprender, ponto por ponto, a oração do Credo. A segunda parte é a celebração do mistério cristão, de toda a vida cristã. Você vai entender bem sobre os sacramentos, o que é muito importante, porque vai aprender o significado do Sacramento do Batismo, Confirmação, Eucaristia, Reconciliação, Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio. A terceira parte trata da vida em Jesus Cristo. E o que é isso? É a vida cristã, as virtudes, os mandamentos, a dignidade da pessoa, como a gente deve viver a vida cristã. É a vida em Cristo. A quarta e última parte é sobre a oração na vida cristã. A oração no Antigo e Novo Testamentos, guias para a oração, o Pai Nosso. Esta também é uma parte muito importante, porque vai nos ensinar a rezar. Assim, você aproveita bem a leitura e o estudo do Catecismo. Aproveite bem.
Ouvinte do bairro Canaã que não se identificou.
Tenho um aluno de 10 anos, muito sensível, que chora com facilidade e que fica de cabeça baixa. Infelizmente não tem bom rendimento escolar e não consegue acompanhar a turma. A direção da escola chamou os pais para conversar e descobriu que a mãe tentou o suicídio duas vezes na frente da criança. Como posso ajudar esta criança a se desenvolver melhor nas atividades da escola?

É uma tarefa bonita e importante. Parabéns por sua preocupação com esta criança. Uma criança com capacidade, com potencial, mas que está precisando de amparo. Primeiro um amparo carinhoso. É preciso manifestar atenção carinhosa com esse aluno e tentar desenvolver nele pensamentos positivos. Mas eu acredito que seria bom pedir a ajuda de uma psicóloga, de uma maneira bem pessoal e bem profunda, porque não é fácil ele sair dessa depressão e dessa tristeza. O que ele presenciou foi muito forte para o coração dele. Então tem que cuidar para que ele se sinta amado por todos. Que a volta dele não haja desprezo ou gozação, mas ele precisa muito de um acompanhamento psicológico. Ele tem que aprender a amar a vida, amar a si mesmo, amar a mãe e compreender que ela está doente, e por isso tomou essa atitude. É importante não desvalorizar a mãe, mas compreendê-la naquela situação. Ele precisa compreender que a mãe tem limites de saúde. Muito carinho, muita atenção e mostrar para ele a capacidade que ele tem. Ele precisa ser ajudado a viver a própria vida como um dom que Deus deu para ele.
Natã. O ouvinte não disse onde mora.
Sei que como cristão devo denunciar todas as injustiças, mas como denunciar se vivo num ambiente perigoso?

Natã, precisamos compreender melhor essa questão de denunciar. Nós não somos chamados a denunciar, somos chamados a anunciar; anunciar Jesus, anunciar o bem, anunciar a paz, anunciar o amor. É claro que isso pode trazer problemas, porque quando a gente fala de amor, quem está no ódio não vai gostar, mas isso a gente precisa fazer. Agora, não precisa ficar apontando os outros, dizendo que estão no erro. Com o dedo que você aponta, têm outros três apontando para você. E veja se está tudo bem com você e se você tem condições de apontar o dedo e denunciar. Houve um tempo que aqui se falava muito em denunciar, mas cuidado com essa palavra. Nós precisamos inverter isso e pensar em anunciar a Boa Notícia de Jesus Cristo para toda a humanidade. A humanidade está mal porque ainda não recebeu essa Boa Notícia, e por isso vive na má notícia, na vida errada. Quando a gente anuncia a Boa Notícia, devagarzinho as coisas vão mudando. Quando você precisa corrigir alguma coisa na sua casa, não é dando paulada, é mostrando coisas positivas, coisas boas, e com esse anúncio vai mudando o ambiente. Então um conselho: em vez de ficar preocupado com o ambiente perigoso, dê exemplo de bom cristão, sendo gente boa, gente honesta, gente pacífica, colaborando só com aquilo que é bom. E quando alguém te convidar para fazer algo errado, você responde que não, porque você segue outro caminho e esta é a denúncia que você vai fazer. Não se preocupe em mostrar os erros dos outros. Seja bom, mostre a verdade sendo verdadeiro.

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS