buscar
por

Liturgia: referência para o itinerário catequético

O cristão vive uma contínua experiência catequética – o caminho, ao longo da sua vida testemunhal – o discipulado, de forma mistagógica, ou seja, sempre aprofundando e intensificando a sua comunhão com o Mistério. A iniciação cristã indica o princípio da vida nova, com explicitação no batismo, como prática do seguimento de Jesus Cristo, na dinâmica do Evangelho e do Reino. A catequese acompanhará todas as etapas da vida cristã, até a Páscoa definitiva de cada fiel, como exercício de ressignificação e intensificação do seguimento e do testemunho de Cristo, em vista do florescimento e da frutificação batismais.

É na vida litúrgica – pleno exercício de pertença à Igreja de Jesus Cristo – que os catequizandos têm referência e inspiração para o cultivo e desenvolvimento da fé, da esperança e do amor, em vista da missão. Por isso, os encontros gerais de catequese (desde as catequeses de iniciação – batismo, eucaristia e confirmação – como também as preparações do matrimônio e as catequeses continuadas e permanentes dos fiéis) devem priorizar a escuta e partilha da Palavra de Deus de forma orante e celebrativa, e em sintonia com as ações litúrgicas.

Para as catequeses de iniciação, particularmente as de preparação ao início da vida eucarística, é oportuno valorizar os conteúdos das leituras proclamadas nas liturgias dominicais, as quais dão uma visão geral, no conjunto do ano litúrgico, do itinerário missionário e salvador de Jesus. Para as demais catequeses, buscar as referências bíblicas próprias para as etapas vividas com os catequizandos, conforme os objetivos de cada etapa. Em suma, o ano litúrgico é o núcleo da catequese.

Conhecer o rito a ser celebrado é indispensável nos encontros de preparação às vivências sacramentais e, a partir do seu conteúdo e estrutura, conduzir mistagogicamente os catequizandos à própria vivência ritual, evidenciando a teologia do rito, que já é, por si, essencial como conteúdo da própria catequese. É oportuno proporcionar vivências rituais com eles, considerando alguns elementos contidos no específico do rito, como forma de aprofundamento. Tudo isso, na certa, será o diferencial em todas as vivências catequéticas, como qualidade e impulso ao comprometimento de uma vida cristã que liturgicamente é celebrada.

Fr. José Moacyr Cadenassi, OFMCap 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS