buscar
por

Jovens buscam mudar a realidade de crianças e adolescentes através do esporte

Jovens buscam mudar a realidade de crianças e adolescentes através do esporte

Eles só tinham duas bolas e quatro cones quando começaram com o projeto, mas a vontade de fazer o bem a crianças e adolescentes da Grande São Pedro não media tamanho. Hoje, o Projeto Social Nova Palestina, atende cerca de 100 meninos e meninas da região. Tendo como base o futsal, o projeto é desenvolvido voluntariamente por quatro professores de educação física e cinco colaboradores, sendo todos moradores da comunidade.

Ao perceberem que as crian√ßas ficavam sem o que fazer na pra√ßa do bairro, Filipi Silva e mais dois amigos sentiram a necessidade de criar algo para entretelas. ‚ÄúVivemos em uma regi√£o com alto √≠ndice de periculosidade. A nossa ideia √© trazer as crian√ßas para um caminho diferente. “Come√ßamos com o projeto em um s√°bado e a partir da√≠ passamos a acompanh√°-las mais de perto. O futsal √© a nossa ferramenta e atrav√©s desse esporte, aconselhamos, temos contato tamb√©m com os pais, oferecemos atividades educativas que buscam desenvolver o trabalho em equipe, falamos da import√Ęncia da disciplina e do respeito ao advers√°rio dentro e fora de campo‚ÄĚ, contou Filipe.

√Č na quadra da EMEF Neusa Nunes Gon√ßalves, em Nova Palestina, que os treinos s√£o realizados. Os atletas t√™m entre 7 e 17 anos e s√£o divididos por categorias.

Lyncom Vieira de 13 anos tem o nome muito parecido com o de um atacante capixaba que hoje joga pelo Flamengo, mas o atleta do Nova Palestina atua como goleiro. Ele enxerga o projeto como uma oportunidade e os professores e colaboradores como amigos. ‚ÄúO projeto nos d√° muitas oportunidades, os professores nos levam para participar de peneiras e √© muito legal. A rela√ß√£o que eles t√™m comigo √© de amizade e respeito‚ÄĚ, disse o menino.

Em dezembro do ano passado, os atletas foram contemplados com materiais esportivos e uniformes de treino, pelo projeto do Governo ‚ÄúCampe√Ķes do Futuro‚ÄĚ, mas esse benef√≠cio foi conquistado por m√©rito pr√≥prio da equipe de Nova Palestina. Fora isso, todas as despesas s√£o divididas entre os professores e colaboradores.

……………………………………………………………..

ONG Sorrisalhaços-ES espalha alegria pela Grande Vitória

Para o grupo de volunt√°rios da ONG ‚ÄúSorrisalha√ßos-Es‚ÄĚ, sorrir √© o melhor rem√©dio. Atrav√©s da linguagem do palha√ßo, eles levam alegria a hospitais, orfanatos, asilos e escolas da Grande Vit√≥ria.

Al√©m das visitas, eles d√£o palestras nas escolas, fazem a√ß√Ķes no tr√Ęnsito, a fim de arrecadar dinheiro para ajudar institui√ß√Ķes, e promovem mensalmente a campanha ‚ÄúPalha√ßo Sangue Bom‚ÄĚ, que √© uma iniciativa de conscientiza√ß√£o para a doa√ß√£o de sangue.

O Sorrisalha√ßos-Es iniciou com 15 pessoas e hoje cerca de 90 volunt√°rios integram o grupo. Antes de come√ßar as atua√ß√Ķes, eles passam por uma oficina, que dura em torno de dois a tr√™s meses.

O Presidente da ONG, Aucleir Amorim, conta que eles acabam ganhando mais do que oferecem ‚ÄúSorrisalha√ßos para mim se tornou uma filosofia de vida e com isso aprendo que a minha dor nunca vai ser maior do que a do outro e que devemos ter empatia. N√≥s aprendemos muito, fazemos papel de ouvintes e recebemos mais do que damos‚ÄĚ, afirma.

……………………………………………………………..

Horta Paraíso: espaço de conscientização e educação ambiental

Fornecer informa√ß√Ķes necess√°rias para o cultivo de planta√ß√Ķes, aproximar-se da produ√ß√£o de alimentos saud√°veis e sem veneno, trabalhar a agroecologia e a educa√ß√£o ambiental, s√£o alguns dos objetivos da Horta Para√≠so.

A partir da luta de moradores, a horta ganhou o seu lugar, dentro do Parque Municipal Pianista Manolo Cabral, que fica em Vitória, entre os bairros Barro Vermelho e Praia do Canto.

A manuten√ß√£o da horta √© dos guardi√Ķes, um grupo de 10 pessoas que se revezam nesta tarefa. Todos os finais de semana, acontecem os mutir√Ķes, quando todos se re√ļnem para colher as hortali√ßas e ervas medicinais. Os moradores dos bairros adjacentes s√£o bem-vindos e para participarem basta o comprometimento nos cuidados da horta. O trabalho desenvolvido vem transformando lugares e pessoas no meio urbano, s√≥ na Capital do Espirito Santo, j√° existem seis hortas desse tipo e elas s√£o modelos de inspira√ß√£o para outras regi√Ķes.

 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENT√ĀRIOS