buscar
por

Caminhada pela vida

Na década de 1990 os índices de violência eram alarmantes no Espírito Santo, que ocupava o lugar de segundo Estado mais violento do país. Grupos de extermínios atuavam impunemente e, segundo entidades de Defesa dos Direitos Humanos, o crime organizado era o responsável pela altíssima incidência de homicídios de mando.

O quadro da Segurança Pública no Estado era assustador e mais grave ainda era a conivência existentes entre o Poder Público e o crime organizado. Em outubro de 1999 o assassinato da estudante Isabela Cassani, de apenas 15 anos, chocou toda a população capixaba. Diante do agravamento desse quadro, Dom Silvestre Luiz Scandian, na época, Arcebispo de Vitória, juntamente com Dr. Agesandro da Costa Pereira, então presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Espírito Santo, convocou algumas pessoas de bem e organizações interessadas em promover a paz para juntar forças e defender nosso Estado da violência e dos desmandos.

Assim nasceu o Fórum Reage, Espírito Santo; um grupo que planejou ações e eventos para mostrar a indignação e revolta do povo contra aquela situação. Um dos primeiros atos do grupo foi convocar toda a sociedade capixaba a ir as ruas e exigir Justiça e Paz. Assim, respondendo ao chamado do Arcebispo e das Instituições de Direitos Humanos, no dia 21 de novembro de 1999, um domingo chuvoso e frio, aconteceu a GRANDE CAMINHADA PELA VIDA E PELA PAZ.

Os manifestantes se concentraram na Praça dos Namorados, em Vitória, onde num momento celebrativo, ouviram as falas de Dom Geraldo Lyrio Rocha, na época Bispo de Colatina, representando a Província Eclesiástica do Espírito Santo, e do Dr. Agesandro da Costa Pereira, representando a OAB.

Cantando músicas com temas alusivos à paz e à vida, o povo seguiu caminhando em direção ao Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, com uma parada embaixo da Terceira Ponte para a leitura e reflexão da Palavra de Deus. Foram lembrados os nomes de várias lideranças assassinadas nos anos anteriores por defenderem a vida e os direitos da pessoa humana, como por exemplo, Padre Gabriel Maire, Verino Sossai, Francisco Domingos Ramos, entre outros. O nome da jovem Isabela Cassani também foi lembrado e seus familiares e amigos participaram de toda a caminhada.   Ao final, o cantor Silvio Brito fez um show em defesa da vida e os manifestantes deixaram cruzes e panos pretos na porta do Tribunal de Justiça, como sinal da indignação do povo capixaba.

Giovanna Valfré
Coordenação do Cedoc

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS