buscar
por

Bem Comum

Ensinamentos

Um dos princípios da Doutrina Social da Igreja é o Bem Comum. Para a Igreja, Bem Comum “é o conjunto daquelas condições da vida social que permitem aos grupos e a cada um de seus membros atingirem de maneira mais completa e desembaraçadamente a própria perfeição” (Gaudium et Spes, n. 26).

Todos nós somos responsáveis pelo Bem Comum e precisamos colaborar na sua busca e no seu desenvolvimento, tomando parte na vida pública, pois isso faz parte do dever ético do cristão.

O Bem Comum exige a busca constante do bem de outras pessoas como se eu estivesse procurando o meu próprio bem, de modo que todos tenham o direito de aproveitar as condições da vida social.

O Estado tem a grande responsabilidade de promover o Bem Comum, pois ele é a razão de ser da autoridade política. O famoso “jeitinho brasileiro” na política e no dia a dia, caracterizado pelo levar vantagem em tudo individualmente, representa um grave problema para o Bem Comum.

Neste ano eleitoral, devemos refletir sobre este princípio. Quais são as propostas dos candidatos aos diversos cargos políticos? As propostas representam compromisso com o Bem Comum ou retratam interesses de grupos minoritários que usam o poder do Estado para manterem seus privilégios?

Um aspecto fundamental a respeito do Bem Comum é a opção preferencial pelos pobres. Movidos pela prática da caridade cristã, testemunhada por toda a Tradição da Igreja e respaldada pela Sagrada Escritura, os cristãos são convocados ao compromisso com os excluídos da sociedade. O amor da Igreja pelos pobres inspira-se no Evangelho das Bem-Aventuranças, na escolha de Jesus por uma vida de pobreza e na atenção especial dedicada por Ele aos marginalizados.

O Bem Comum supõe o respeito pela pessoa. Os poderes públicos são obrigados a respeitar os direitos fundamentais e inalienáveis da pessoa humana. A sociedade é obrigada a permitir que cada um de seus membros realize a sua vocação, agindo de acordo com sua reta consciência, tendo o direito à proteção da vida particular e à justa liberdade, inclusive a religiosa.

O Bem Comum também exige o bem-estar social e o desenvolvimento do grupo como um todo. As autoridades precisam organizar a vida social para conciliar interesses comuns e interesses particulares; e também proporcionar o acesso de todos a uma vida verdadeiramente humana com dignidade, tendo alimento, vestuário, trabalho, educação, saúde, cultura, informação, família, dentre outros.

A paz também faz parte do Bem Comum, sendo concebida como uma ordem justa, duradoura e segura. Por isso, a autoridade tem a obrigação de assegurar por meios honestos, a segurança da sociedade e a de seus membros.

O Bem Comum remete à realização plena do ser humano e de toda a criação e não pode ser privado de sua dimensão transcendental. Não se trata somente de bens materiais, mas remete à realização completa do verdadeiro Bem Comum da humanidade em virtude da fé na Páscoa de Jesus Cristo.

Jamais podemos esquecer que Deus é o fim último de suas criaturas.

Vitor Nunes Rosa

Professor de Filosofia na Faesa

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS