buscar
por

Anúncio e Testemunho Pascal

Todos os anos celebramos com entusiasmo o Mistério da Páscoa, a Festa da Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo e de Pentecostes. Tempo Novo, sob a Luz do Espírito que conduz a Igreja comunicadora da Boa Notícia para a humanidade. O Espírito Paráclito veio para renovar a face da terra! A missão e o sentido da Igreja, desde os Apóstolos e discípulos de Jesus, é ser instrumento do Espírito Santo como discípula de Cristo na história da humanidade. É o tempo do Espírito que renova a face da terra.

Ser Sinal do Reino não tem sido fácil na história da Igreja. Logo no início, após o evento de Pentecostes, surgiram os primeiros mártires que testemunharam e anunciaram Cristo Ressuscitado com a própria vida. Palavra e gesto!

Cada época da história é marcada pelo testemunho pascal, tendo como consequência a imolação cruenta de muitos irmãos como também a imolação incruenta de tantos outros irmãos e irmãs, os quais são na história de nossa fé reverenciados como nossos heróis, testemunho e exemplo para todos nós que desejamos seguir no discipulado de Jesus Cristo. Todos, a seu modo, proclamaram Cristo Ressuscitado, todos movidos e conduzidos pelo Paráclito vencendo o pecado e colaborando pela expansão do Reino de Deus.

Hoje, a Igreja se depara diante de desafios semelhantes. Quantos irmãos são imolados nas diversas partes do mundo somente porque são cristãos! Outrora a violência contra os cristãos acontecia pela agressão física, fazendo verter o sangue do cristão perseguido. Hoje, há em alguns lugares, agressão física com o derramar do sangue, como o Mestre e Senhor, porém, em boa parte do mundo, há outras maneiras de se opor a Jesus Cristo. Há a agressão de ordem psicológica e ideológica. A agressão ideológica não derrama o sangue, mas envenena alma. O veneno das ideias e sofismas traiçoeiros, aos poucos, geram infiéis, idólatras e heréticos sem que a própria pessoa perceba.

Hoje, mais do que nunca, faz-se necessário o testemunho pascal no meio deste ambiente, das ideologias sem se deixar influenciar pelo mal. O testemunho cristão pascal é a força do Espírito Santo que provoca conversões onde não se poderia imaginar que fosse possível. O mistério da páscoa deve ser vivido e anunciado também nos ambientes hostis à notícia cristã.

Veja como invadem nossas famílias através de uma mídia empenhada em desvalorizar e por em ridículo valores ensinados pelo Evangelho, seja a respeito do sagrado matrimônio ridicularizando a vida conjugal e familiar, seja depravando a sexualidade humana e cristã e o desrespeito à vida.

Ora, o testemunho pascal exige do discípulo cristão, hoje como ontem, uma posição corajosa sem medo de mostrar a convicção cristã, correndo risco ou de ser preso ou de ser condenado e/ou, de ser considerado ignorante, atrasado e ridicularizado.

A fidelidade evangélica hoje se dá muitas vezes na coragem da contradição diante de quem opte pela violência. A coragem evangélica é a não violência ativa diante da violência. A coragem da não violência ativa gera a paz, como por exemplo, diante de um canal de TV que defende e ensina anti- valores, faz com que eu mude de canal ou simplesmente valorize outras emissoras que respeitam a vida, a cultura cristã, arraigada em nossa gente.

Com tristeza vejo que muitos cristãos estão perdendo vigor da fé porque bebem deste veneno anti-cristão e passam a mudar não só de religião, mas assumem outra cultura, a do indiferentismo e relativismo. Surgem novos ateus práticos, indiferentes, como também surgem novos discípulos missionários imbuídos da coragem apostólica anunciando e testemunhando o Mistério da Páscoa nas Comunidades Eclesiais e dentro delas novos movimentos de leigos corajosos e destemidos. Tempos novos e época nova. Quem puder compreender, compreenda!

DSC_0203

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS