buscar
por

A função do Marketing na política

A função do marketing na política é construir a vitória do candidato. Por isso, ocupa um papel muito importante no processo. É ele, que através de um planejamento, vai definir a estratégia geral de campanha e as ações táticas a serem desenvolvidas para garantir o objetivo principal, que é a vitória. A estratégia é a linha condutora, o eixo, o discurso central. E chamamos de tática, as ferramentas disponíveis que serão utilizadas para se cumprir o objetivo.

O marketing coordena e define em cada momento o que será executado. E um dos instrumentos que orienta essas ações é a pesquisa. Num primeiro momento, antes de iniciar a campanha, a pesquisa qualitativa. Aquela que mostra de certa forma os aspectos subjetivos e atinge motivações não explícitas, ou mesmo conscientes, de maneira espontânea. Mostra o desejo do eleitor e é fundamental para calibrar o discurso. A outra é a pesquisa quantitativa, que indica a posição do candidato num determinado momento.

Hoje são inúmeras as ferramentas em diversas áreas, dentro do escopo do marketing, que são usadas para conquistar o voto. Na área de propaganda e publicidade, a criação das peças de campanha e veiculação. Na área de mídia impressa temos assessoria de imprensa, produção jornalística e clipping. A TV e o rádio também são ferramentas muito importantes, que podem decidir uma eleição. Mas a grande vedete de hoje é sem dúvida nenhuma a internet/redes sociais com os sites, blogs, Facebook, WhatsApp, Instagram, Youtube e emails marketing.

Cabe aqui uma avaliação um pouco mais profunda desta “nova” ferramenta. A internet hoje é usada por quase a totalidade dos políticos e candidatos, de forma criativa, diversificada e intensa. Sua aplicação na política implica uma verdadeira revolução, não somente como um recurso a mais a serviços de objetivos políticos, mas, principalmente, como uma nova forma de fazer política.

Diferentemente das demais mídias, ela possui, mutuamente potencializados, todos os recursos televisivos, radiofônicos, da imprensa, da correspondência pessoal, do telefone, podendo acontecer em tempo real e com uma interatividade que não encontra paralelo na história da comunicação humana. É uma ferramenta tão diversificada, que é possível acessar através de celulares, tablets, notebooks, dentro do seu carro, avião, no ônibus, no centro comunitário, no shopping, na praia, durante 24 horas.

O marketing é muito importante, mas isoladamente não é capaz de garantir o êxito em uma eleição. É preciso um conjunto de fatores, entre eles um candidato articulado, competitivo e agregador. Um arco de alianças amplo, uma boa estrutura e um programa capaz de conquistar a mente e os corações dos eleitores.

João Luiz de Oliveira
Jornalista e Publicitário, com especialização em Marketing Político e Diretor da Conceito Propaganda 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS