buscar
por

"A espiritualidade é um espaço dentro do corpo onde aquilo que não existe, existe." (Adélia Prado)

Nunca se precisou tanto tratar do tema “Espiritualidade” como nos dias de hoje. Vivemos tempos novos, que nos atropelam e, quem não souber lidar com isso, pode se perder neste marzão da vida. A espiritualidade é muito bem trabalhada por Adélia Prado, principalmente na própria vida: sua poesia é seu cotidiano. Ela disse que a poesia é maior que o poeta, se colocando humildemente como receptora. Assim como a religião aponta o caminho, mas não é o caminho, a poesia de Adélia nos mostra o sagrado presente em tudo, em especial dentro de nós.

É preciso que se faça uma passagem sincera e profunda com o conhecimento que adquirimos com as teorias – enquanto existirem apenas em nossas cabeças ainda não se converteu em espiritualidade. O que vai fazer nascê-la em nós é a passagem para o coração. Quando se dá esse passo há uma revolução interior, abre a porta do amor de dentro para fora. Uma pessoa que tem uma espiritualidade trabalhada é tolerante com o próximo, principalmente com os erros do próximo – simplesmente porque onde nasce o amor, nosso espírito entende com mais compaixão e se coloca no lugar do outro.

A experiência religiosa é uma experiência poética. A palavra de Deus em toda a Bíblia é poesia. Eu aprendi poesia nos Salmos. A poesia e a fé são complementares e nos direciona para o indizível, essa falta de racionalidade que muitas vezes são pedras de tropeços para muitos. Após cursar Filosofia fui acolhido pela Poesia; foi ela que me mostrou o que está além da razão. Para nós, inseridos no cotidiano da vida, muitas vezes sofrida (dor, morte, vazio imenso, contas a pagar, desemprego…) se ficarmos apegados somente ao racional, entraremos num espírito de competição sem lógica da sociedade. É o que estamos presenciando hoje. Só a fé pode preencher em nós esse vazio e transformá-lo em espiritualidade, e o faz em mim através da espiritualidade poética.

A Religião é a vela que possibilita a Luz! Jesus é Luz para iluminar nossa ESPIRITUALIDADE. Ele anunciou que o Reino de Deus é o que gera em nós, dentro de nós, essa transformação.  Doutrinas, dogmas, ritos – todos são caminhos importantes – mas espiritualidade é experiência de vida, é preciso virar a chave da transformação interior e fazer a ponte que passa todos esses conhecimentos do cérebro para o coração. A pessoa transformada não briga pelo poder, pois entende que poder é servir.

O ser humano que ficou insensível ao sofrimento do outro (pode ser leigo, papa ou padre) perdeu sua espiritualidade comprometida com o Amor Maior. Espiritualidade Viva é aquela que nos conecta com Deus no coração a serviço do Bem Comum. É Deus agindo dentro de nós “onde aquilo que não existe, existe”.

Warllem Silva
Fotógrafo e poeta 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS