buscar
por

A conversa em rede e os emoticons

A conversação é o gênero mais básico da interação humana e, por isso, foi considerada a pedra sociológica fundamental da interação entre os homens. Se antigamente a comunicação a longa distância era o som da voz humana ecoando pelos vales, hoje em dia os meios de comunicação são extensões do nosso corpo, e suas mensagens, de nosso sentir e pensar.

É cada vez mais recorrente a utilização de algum dispositivo eletrônico nas nossas conversas diárias. Depois de ler esse texto, sugiro que você faça uma experiência. No final do dia contabilize o número de pessoas com as quais você teve algum tipo de comunicação. Veja em quantas delas você conversou com a pessoa diretamente ou por meio de algum recurso tecnológico.

Numa conversa entre duas pessoas, tudo é informação, como por exemplo o tom da voz, a entonação, as pausas da fala, os gestos e as expressões. Uma das limitações das conversas realizadas por meio de algum dispositivo é que perdemos alguns elementos de expressão. Sendo assim, é cada vez mais recorrente a utilização dos emoticons para nos auxiliarem na transmissão e na compreensão de uma mensagem.

A versão eletrônica do emoticon foi utilizada primeiramente por Scott Fahlman em 1982. O objetivo de sua utilização era para evitar qualquer confusão nas mensagens que eram enviadas on-line, ou seja, para identificar se um assunto era :( sério ou apenas uma :) brincadeira. Desde então os emoticons se tornaram um recurso quase que obrigatório no nosso cotidiano. O termo entrou oficialmente para o dicionário Oxford em 2001 e é uma junção das palavras inglesas emotion (emoção) e icon (ícone).

Devemos compreender que a conversação mediada por um dispositivo eletrônico é um ato recorrente no nosso dia a dia e os emoticons nos auxiliam a expor de forma mais clara aquilo que estamos pensando. A conversa por meio das redes sociais permite uma difusão de ideias de uma maneira nunca antes vista. Dessa forma temos as conversas coletivas cujos assuntos abordados em um grupo se alastram pelas outras redes sociais que o indivíduo utiliza, um bate papo que se iniciou no Whatsapp pode terminar numa polêmica nacional discutida amplamente no Facebook.

A utilização dos emoticons nos permite expressar de forma mais clara aquilo que estamos conversando dentro das redes sociais, visto que não temos ali presentes todos os elementos utilizados nos nossos diálogos do cotidiano. Porém, nem todos acabam interpretando esses símbolos da mesma maneira, o que uma pessoa pode entender como um “simples sorriso” outra pode interpretar esse mesmo sinal como “aham, coloquei um sorriso aqui para não pensarem que eu sou antipático”. Um “joinha” pode ser visto como algo “legal” ou então como “estava com preguiça de escrever e coloquei esse joinha aqui”. Na dúvida de utilizar ou não, escreva sempre o que você pretende transmitir, afinal de contas o bom e velho português nos permite ser mais claros nas nossas mensagens.

Felipe Tessarolo
Publicitário e Professor Universitário

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS