buscar
por

Padres foram ordenados no Congresso Eucarístico

O dia 4 de setembro, o 4º do I Congresso Eucarístico Arquidiocesano, culminou com a ordenação presbiteral dos diáconos Claudio Alves Moreira e Edmilson Boechat Castro. Pouco antes do início da Celebração Eucarística, um grupo de crianças do Instituto Nossa Senhora da Vitória, da Serra, realizou uma singela apresentação com flautas.

Na missa, ao final do dia, Cláudio e Edmilson foram apresentados pelo padre Jorge Campos, reitor do Seminário e chamados pela Igreja que, nas palavras do Arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, os acolheu como membros do presbiterato de Vitória.

O Arcebispo os ordenou e fez recomendações: meus queridos Claudio e Edmilson a missão de padre não é o sucesso, mas de lavadores de pés. O empenho do presbítero é servir e não se deixar seduzir pelo triunfalismo. Quando usamos batina não é para sermos diferentes apenas, é para sermos servos da justiça e da misericórdia. Quando estamos na frente do povo não devemos falar qualquer coisa, mas aquilo que vem do coração”, disse Dom Luiz. Outra recomendação feita por Dom Luiz no final da homilia foi para que eles vivam em comunhão com o bispo “nunca fuja do seu bispo e nunca se afaste. Se discordar ou não entender converse com ele porque juntos evangelizamos, o padre sozinho não faz muita coisa e o bispo também não, é preciso estar junto”.

A cerimônia interrompida por conta da chuva enquanto acontecia a imposição das mãos sobre os novos padres, fez com que fosse necessário interromper a cerimônia e conduzir os fieis para dentro da catedral.

Catequese

Durante a tarde aconteceu a catequese com participação dos presbíteros, diáconos, religiosos(as), seminaristas e vocacionados) e com a presença de Dom Paulo Dal’Bó que fez palestra sobre “Homens e mulheres eucarísticos gerados e consagrados para amar e servir” e a exposição sobre a história da Igreja no Espírito Santo que recebeu os visitantes entre 14h e 21h.

Dom Paulo falou sobre a importância de Maria na vida dos consagrados, honrando e intitulando-a como mãe de Deus e nossa mãe, como uma aliança de amor, pelo sim generoso de Maria, sendo também o mesmo sim dos consagrados.

“Os consagrados são convidados a estarem “grávidos”, 9 meses de gestação, preparando o novo cheios de surpresas, podendo ser agradáveis ou desagradáveis. Uma gravidez pautada de cuidados, bem assistida e acompanhada irá gerar uma vida saudável. Assim os consagrados passam 9 anos em formação, e que nós não percamos a essência de onde viemos.Se bem formados irão levar para a Casa Maior de Deus, toda esta boa fase de gestação, se não irão ser igualmente quando entraram. Se permitam a uma boa gestação!”

Ele finalizou a palestra fazendo votos para que sejamos uma igreja missionária, em saída. “É necessário aprendermos com o mestre, devemos lançar a rede em direção a obediência. Obedecer e ter coragem de lançar as redes, é estarmos preparados para os resultados. Deixemos a profissão e seguirmos os dons de Deus, pela graça e obediência.

Estarmos abertos as novas experiências, escutar o outro, escutar Jesus, aos novos desafios do mundo. Quando a carga estiver pesada na missão, ser humilde em pedir ajuda. Firmeza na vocação, estarmos preparados para enfrentarmos os ventos contrários. Saber pescar, um dos elementos mais importantes na missão dos discípulos, pois a rede é mais importante do que a isca, um anzol machuca, sangra, já a rede acolhe sem machucar”, concluiu.

 

COMENTÁRIOS