buscar
por

Fachada original do Santuário Nacional de São José de Anchieta pode ser vista por visitantes até o final de setembro

Quem quiser visitar o Santuário Nacional de São José de Anchieta para ver como era a Igreja quando São José de Anchieta a construiu, terá até o final deste mês. É que com as obras de restauro e readequação do Santuário, as paredes da fachada toda construída com areia, óleo, cal de ostra e pedra, e que com o tempo foram cobertas com reboco e pintadas de branco, ficaram expostas.

IMG_3848

Parte desse reboco foi retirada durante as obras e revelou os 429 anos de história do local (contando da data em que foi inaugurada). No entanto, a fachada receberá novo reboco, pois segundo o Reitor do Santuário, Pe. Nilson Marostica, o reboco é necessário para que a construção seja conservada.

“Infelizmente não poderá ficar sem cobrir as pedras por causa do grande vento. Estamos diante da praia e nós temos que proteger esse patrimônio”, afirmou.

img_5233-1

O reitor afirma ainda que existe uma experiência religiosa na exposição dessas pedras, pois permite que as pessoas reflitam como é a Igreja.

“Pedras tão diversas, dispostas de tal forma que, cada uma com sua função, superam a aparência caótica e revelam a unidade. Mostram a força do testemunho da vida dos santos. A igreja é assim, primeiro nasce a igreja viva, depois a igreja de pedra. Então aquela igreja viva que tinha aqui, animada por São José de Anchieta, construiu essa beleza que temos preservada”, comentou.

O Santuário Nacional de São José de Anchieta está localizado no município de Anchieta, no sul do Espírito Santo, a 80km da capital Vitória. E foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943. O conjunto arquitetônico do século XVI reúne a igreja de Nossa Senhora da Assunção construída por Anchieta, o Museu e o quarto onde o Padre José de Anchieta viveu os últimos anos de sua vida e morreu em 09 de junho de 1597.

O Santuário está aberto para visitação das 8h às 20h. O Pátio do Santuário, onde é possível ver a fachada descoberta, tem livre acesso, sem limitação de horário.

 

 

COMENTÁRIOS