buscar
por

Emoção, devoção e fé na abertura do I Congresso Eucarístico Arquidiocesano

Folhetos e mãos  se agitaram, acenando para a imagem peregrina de Nossa Senhora da Vitória, assim que as sirenes do carro do Corpo de Bombeiros anunciaram sua chegada à Praça da Catedral de Vitória. “Senhora da Vitória, Tua força queremos pedir”, cantavam os fieis que estavam presentes na abertura do I Congresso Eucarístico Arquidiocesano (Cear).

A imagem peregrina passou por todas as paróquias da Arquidiocese de Vitória e retornou neste sábado à Catedral Metropolitana, coroando a comemoração dos 60 anos de criação da Arquidiocese. A imagem foi levada ao palco por militares onde permaneceu após o ato de devoção, conduzido pelo arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela.

Foram assim os primeiros momentos da abertura do Cear, cheios de emoção, fé e devoção, que se prolongaram por toda a noite. A Missa solene foi  presidida pelo arcebispo emérito de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, que relembrou a história da criação da Arquidiocese de Vitória.

“No dia 16 de fevereiro de 1958, o papa Pio XII, por meio da bula Cum territorium,  elegeu essa Província Eclesiástica, criando as Dioceses de Cachoeiro de Itapemirim e de São Mateus, elevando Vitória a categoria de Sede Metropolitana, passando a denominar-se Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo”, lembrou.

E continuou sua fala explicando como deve ser, segundo o Código de Direito Canônico, uma Província Eclesiástica. Agradecendo ele disse: “Deus seja louvado pelos 60 anos da constituição dessa Província Eclesiástica, e elevação da Igreja particular de Vitória à categoria de sede metropolitana. O Senhor receba essa ação de graças, pelas maravilhas que tem realizado em favor do seu povo nessas benditas terras capixabas”.

Ao finalizar sua homilia, Dom Geraldo cita as palavras do salmista (Salmo 116) como forma de expressar o sentimento de gratidão a Deus pelos 60 anos de caminhada da Arquidiocese; “Como retribuiremos ao Senhor por tudo que Ele tem feito ao seu povo santo. Tomaremos o cálice da salvação e invocaremos o nome do Senhor. Amém.”

Ao final da Celebração Eucarística, padre Renato Criste, pároco da Catedral, expressou a gratidão de todos a Dom Geraldo, por ter resgatado em sua homilia a história da Igreja de Vitória em terras capixabas e também expressou a alegria de tê-lo novamente, servindo a Igreja de Vitória. “Muito obrigado por sua presença honrosa”, agradeceu.

Após a missa, o Santíssimo foi transladado para dentro da Catedral onde acontece, durante toda  a noite, até às 6 horas de  domingo, a Vigília Eucarística com a juventude e novas Comunidades.

Exposição

Durante a tarde de ontem e após a missa de abertura, muitas pessoas visitaram a exposição A História da Igreja de Vitória no Espírito Santo. A mostra estará aberta de 14 às 21 horas até o dia 08 de setembro, encerramento do Congresso e Solenidade de Nossa Senhora da Vitória.

COMENTÁRIOS