buscar
por

A vocação dos consagrados é fazer os outros felizes

Testemunho, profecia e esperança. São aquilo que a Igreja e o mundo esperam dos consagrados. Esta foi a mensagem principal da missa apresentada pelos religiosos e seminaristas no momento das oferendas na missa das 7h, no Campinho do Convento. Esta missa, dinamizada pela Conferência dos Religiosos do Brasil e pelo Seminário Nossa Senhora da Penha, foi presidida por Dom Rubens Sevilha, bispo auxiliar de Vitória.

“Aqui, nós religiosos estamos em casa. Estamos num Convento”. Com estas palavras, Dom Sevilha, que é religioso carmelita, iniciou a sua homilia. O tema principal foi a alegria, a forma como os religiosos devem viver a sua vida, inspirado principalmente pelo Ano da Vida Consagrada e pela carta Alegria do Evangelho, do Papa Francisco. Não é uma alegria passageira, da carne, que se esvai com o tempo. A vocação do consagrado é fazer os outros felizes, se desgastar em favor dos outros, assim como a vela se consome, e uma riqueza para a Igreja.

Os fieis que participaram da missa receberam dos religiosos um pacotinho com sementes para que plantem em suas casas, recordando tantos religiosos que desde o início da colonização do Espírito são sinais na vida do povo.

Para Irmã Nilza, missionária Agostiniana recoleta, esta missa é muito significativa para os religiosos da Arquidiocese de Vitória, pois é momento de gratidão a Nossa Senhora e pedir que todos eles anunciem e vivenciem a mensagem do Evangelho.

Um dos jovens que se prepara para o sacerdócio no Seminário Nossa Senhora da Penha, tem uma história vocacional interessante. Ricardo Passamani, de 28 anos, é médico e ao ver o sofrimento de tantas pessoas nos hospitais, principalmente daquelas que desejavam o auxílio de um sacerdote, sentiu-se chamado a essa missão. Deixou a profissão, que exerceu por pouco tempo, e iniciou o processo para ser padre. Ele diz que a figura de Nossa Senhora é muito importante para os cristãos e para o seminarista mais ainda, pois assim como ela carregou Jesus em seus braços, é ela que os carrega.

COMENTÁRIOS