buscar
por

VIRGEM DA PENHA, NOSSA ALEGRIA.

A Festa de Nossa Senhora da Penha, Senhora das Alegrias tem como tema para a reflexão dos peregrinos: “Virgem da Penha, minha Alegria”!

Um tema que toca o coração do devoto. A alegria é uma qualidade que surge do coração humano e de fé como resposta ao Dom de Deus. A alegria vem de Deus.

Logo após o anúncio do anjo, a Virgem Mãe de Deus foi visitar sua prima Isabel que também estava grávida por graça de Deus. O encontro das duas mulheres agraciadas foi um momento de profunda alegria! “Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite”? (Lc 1,43). E seguiu-se um lindo hino de louvor, o Magnificat.

Poderíamos, ainda, citar outros fatos como o encontro de Madalena com Jesus, pensando que ele era o jardineiro; o encontro dos apóstolos com Jesus ressuscitado, a alegria dos peregrinos de Emaús. É força que vem alto e toca os corações provocando exultação, gritos jubilosos, sentimentos profundos que provocam exclamações, lágrimas e louvores indizíveis de êxtase perante as maravilhas do Senhor!

O santo Padre, o Papa Francisco, tem escrito e falado muito sobre a alegria. Escreveu uma linda exortação apostólica sobre a “Alegria do Evangelho”!

Alegria faz parte essencial do anúncio de nossa fé. Somos alegres porque Jesus Cristo ressuscitou e deu sentido à nossa vida, deu oportunidade a toda a humanidade para que se renove e participe da aliança que Ele veio propor a todos nós. Aliança feita a partir de nossa realidade profundamente humana: a dor que sofremos e a alegria. A dor só tem sentido a partir da ressurreição de Jesus Cristo, que fez da dor e da alegria, sinais da Páscoa libertadora, Nova e Eterna Aliança. Na Cruz de Cristo, nossa cruz! Na Vitória de Jesus, nossa vitória!
Esta alegria a Mãe de Jesus nos comunica, porque foi ela, a Mãe, que aceitou ser o instrumento entre a Palavra Criadora e a humanidade. Jesus é a Palavra que nos criou e que veio nos libertar. Esta é a base de nossa alegria que Francisco não se cansa de anunciar a todos para que não percamos a esperança e a paz.

Algo semelhante opera nos romeiros peregrinos que sobem até o Convento de Nossa Senhora da Penha, onde está a Senhora das Alegrias. Cada peregrino carrega consigo uma história de vida, interrogações, dúvidas, sofrimentos e de esperança. Quantos sacrifícios e quanta fé nestas pessoas sofredoras, mas cheias de esperança. Com razão podemos proclamar “Virgem da Penha, minha alegria”! As graças alcançadas, a fé renovada, a família abençoada são motivos de alegria e de muita gratidão de todos os romeiros. De onde vem esta alegria? Do coração misericordioso da Virgem da Penha, a Senhora das Alegrias. A Alegria dos fiéis é tão forte que a cada ano se multiplicam os romeiros peregrinos aos pés de Nossa Senhora da Penha. Na Festa de 2017 calcularam-se entre seiscentos e setecentos mil romeiros na caminhada dos homens. Provavelmente este ano passarão a casa do milhão de devotos que prestarão sua homenagem à Senhora das Alegrias, a Virgem da Penha.

De lá surge a alegria, a paz, o consolo e amparo da mãezinha querida de todos nós. Com toda a certeza, a Família peregrina encontrará força e paz para o seu lar. Por isso, digo com muita fé: Virgem da Penha, Senhora das Alegrias, proteja nossas famílias e alcance para todos os romeiros alegria, saúde e paz! Rogai por nós!

Diálogos DSC_0053

Dom Luiz Mancilha Vilela, ss.cc.
Arcebispo de Vitória

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS