buscar
por

VIDA ESPIRITUAL

O tema “espiritualidade” sempre desperta o interesse dos homens e mulheres de todas as épocas e culturas. A atenção e a busca pela espiritualidade não se restringem a determinada classe social. A alma e o coração humano são dotados de uma força transcendente que os leva a peregrinar na busca sobre o sentido último da existência. Vários são os caminhos espirituais que levam homens e mulheres a buscarem as respostas e os sentidos para suas vidas.

Grandes místicos percorreram caminhos espirituais que os levaram a encontrar – embora não apenas ou tão somente – respostas para suas inquietações; mas, pela via espiritual, encontraram um caminho de paz interior. Puderam encontrar um caminho de integração consigo mesmos, com o outro, com a comunidade, com o mundo, com o cosmos, com o despertar para o equilíbrio para com a natureza, para com a ecologia. E, fundamentalmente como ápice da experiência espiritual, os místicos puderam fazer a experiência do encontro transfigurante com o Totalmente Outro, com a Divindade, com Deus.

A jornada pela espiritualidade desperta interesse porque a ciência não tem respostas para todas as perguntas e inquietações humanas. Em sua constituição, o ser humano é um ser aberto à transcendência. O ser humano não se satisfaz levando uma vida medíocre. Ao contrário, o homem tem sede de algo mais. Tem sede de um sentido para tudo que faz, experimenta, projeta e sonha. O ser humano tem sede de vida, de liberdade, de dignidade, de justiça e de paz. Tem desejo de realização e de expansão de suas capacidades mais intrínsecas.

Todo ser humano possui em si uma força que o lança para frente, para o alto, para o transcendente. Uma força que o projeta e o faz sonhar e colocar-se a caminho. É essa força que o leva a superar grandes desafios, que o arranca dos espaços de comodidade. Uma força tal que não lhe permite a permanência nos espaços mais sombrios e obscuros, quer esses espaços estejam dentro ou fora de si mesmo.

A vida espiritual leva o ser humano à superação de adversidades e de barreiras muitas vezes consideradas instransponíveis. A espiritualidade é a força motriz que faz do derrotado um vencedor; que transforma a fragilidade e o medo em força e coragem.

O homem e a mulher espirituais são arautos da esperança e do amor. São capazes de enxergar, para além da aparente derrota da morte, a vitória da Vida. O homem e a mulher espirituais têm a capacidade de ver e de julgar para além das aparências; sem, contudo, negar ou desconsiderar a objetividade e a facticidade da vida.

A espiritualidade suscita no coração humano uma excepcional capacidade de perceber o extraordinário no ordinário da vida. O homem e a mulher espirituais são capazes de se maravilhar e de se encantar com aquilo que é corriqueiro, trivial e simples. Não é possível um desenvolvimento humano pleno, integral, sem considerar a dimensão espiritual no contexto da realidade humana. Ou seja, sem considerar que a espiritualidade é uma realidade constituinte dos seres humanos.

Pe. Jorge Campo Ramos
Reitor do Seminário Nossa Senhora da Penha e Vigário Geral

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS