buscar
por

Variação e mudança das línguas

É fato que todas as línguas apresentam variação. Esse tema é um dos assuntos estudados por uma disciplina da Linguística denominada Sociolinguística. Nós podemos perceber que a variação acontece no nível espacial/geográfico (as pessoas de Vitória, Rio de Janeiro, Salvador etc. não falam do mesmo modo) e social (as diferenças de sexo, idade, grupos de amizade ou de trabalho etc. fazem com que as pessoas falem de forma diferente).

A variação linguística, inerente a todas as línguas, como dissemos, origina a mudança linguística. Desse modo, as línguas também variam no tempo. Entretanto, essa mudança normalmente não se dá de maneira rápida, e sim muito lentamente, para que as pessoas consigam se compreender. Para termos uma ideia da mudança, imaginemos, por exemplo, uma pessoa de 70 anos conversando com seu filho e com seu neto. Com exceção de algumas palavras possivelmente desconhecidas, as três pessoas deverão compreender-se. Porém, se lermos um livro do século XIX, as dificuldades de compreensão serão maiores. E, quanto mais nos afastarmos no tempo, mais dificuldades teremos para entender a linguagem dos antigos.

Com o passar do tempo, algumas palavras/formas da língua podem ser cada vez menos usadas (como urinol, meliante etc.) e ser esquecidas, enquanto outras vão sofrendo mudanças de significado. A língua portuguesa tem muitos exemplos de palavras que, em tempos passados, tinham um significado e atualmente têm outro. O Prof. Cláudio Moreno, no site www.sualingua.com.br, apresenta-nos alguns exemplos bastante interessantes:

Formidável: a palavra vem do Latim formidabilis e significava temível, assustador, ou seja, apresentava conotação pejorativa. Atualmente, ela é um grande elogio para quem a recebe.

Prestígio: significava charlatanismo, impostura, no latim, onde teve origem, mas, nos dias atuais, passou a significar poder e influência de uma pessoa.

Libertino: segundo o Prof. Moreno, em Roma, o termo libertinus designava apenas o escravo liberto. Atualmente, a palavra tem o significado de devasso.

Tratante: no latim, queria dizer simplesmente aquele que trata, que contrata”. Hoje, ser chamado de tratante é uma ofensa, pois designa a pessoa que não honra a sua palavra no trato.

Como dissemos, as mudanças semânticas vão acontecendo lentamente. As pequenas alterações de significado das expressões, realizadas pelos usuários da língua, vão conformando a linguagem, imprimindo-lhe as marcas de seus falantes, em consonância com a época e o contexto social em que vivem. Esse é um processo universal, o que nos alerta para que não vejamos com maus olhos as mudanças que ocorrem na língua.

Edenize Ponzo Peres
Doutora em sociolinguística
Professora da Ufes

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS