buscar
por

Uma história real sobre o pão de Santo Antônio

IMG_3500 Por que o senhor resolveu conservar este pão de Santo Antônio por mais de 50 anos?
Em 1960 meu irmão deixou a propriedade onde toda minha família morava, em Santa Leopoldina, e mudou para Jardim América. Ele montou uma pequena quitanda para trabalhar e começou a ganhar dinheiro. Nossa família, que já passava dificuldade na roça, resolveu também se mudar para Jardim América e tentar melhorar a vida trabalhando com outras coisas.
Em 1964 também me mudei com minha esposa e nosso primeiro filho para Jardim América, mas nós passamos por uma crise financeira muito séria. Estávamos vivendo uma situação difícil e, na época, entre outros bicos que eu fazia, eu também trabalhava de vigilante na Vila Rubim.
Um colega meu, que trabalhava comigo de vigilante, sabendo da minha dificuldade, da minha situação financeira, me disse que lá no Santuário de Santo Antônio, por ser dia 13 de junho, iriam distribuir muitos pães para as pessoas.
Então eu resolvi ir até lá para ganhar uma sacola de pães e foi o que aconteceu. Mas, dos pães que eu ganhei, resolvi guardar um porque eu tinha fé que se eu guardasse um deles nunca faltaria alimento em minha casa. Foi o que aconteceu, graças a Deus. Durante todos esses anos minha vida sempre foi de muito trabalho e de muita luta, mas nunca faltou alimento para minha família.

IMG_3506Como o senhor conseguiu conservar o pão por tanto tempo?
Eu acredito que ele não se deteriorou porque todos os anos, no dia 13 de junho eu vou novamente até o Santuário de Santo Antônio com meu pãozinho para que ele seja abençoado pelos padres. Eu tenho muita fé em Santo Antônio e acredito que ele já me ajudou muito na vida. Já me ajudou a encontrar minha identidade duas vezes e também nunca deixou que faltasse nada para minha família. Então, depois de algum tempo guardado, eu pedi a um conhecido para que ele fizesse uma pequena urna de madeira para eu guardar o pãozinho. Ele diminuiu de tamanho, mas nunca deu bolor e nunca esfarelou. Então todas as vezes que vou ao santuário o levo nesta caixinha e as pessoas ficam impressionadas com a história. Fico muito feliz em poder dar este testemunho de fé e também por ser conhecido pela história do pãozinho de Santo Antônio.

João de Deus
Devoto de Santo Antônio 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS