buscar
por

Tropical sol da liberdade

LIVRO
TCapa Tropical sol da liberdade.inddenho muita admiração pela escritora Ana Maria Machado, que nasceu no Rio, mas que tem uma forte conexão com o Espírito Santo, sendo neta e filha de capixabas. A minha intimidade com a obra dela, se deu inicialmente no campo da literatura infantil. Li inúmeros títulos nas bibliotecas de escolas públicas e em casa para o meu filho. Recentemente, Tropical sol da liberdade me encontrou. O romance mistura ficção com realidade, retratando o período da ditadura no Brasil e suas consequências para as pessoas que tentaram resistir à repressão brutal, a prisão e a todo tipo de tortura. No romance Lena é uma jornalista que se auto exilou para fugir da repressão e por saber dos perigos que a rondavam por ser irmã de um dos mais combatentes líderes do movimento estudantil brasileiro. Destaco aqui o compromisso de Lena, com o jornalismo verdadeiro, pois em sua prática jornalística não concordava que a informação real fosse negada aos leitores. Doía nela mesma cada vez que percebia a impressa negando informação ao público.

DISCO
untitledIaiá, de Mônica Salmaso, foi um presente que ganhei da amiga Rosana Sorbille. Iaiá, é o CD de estreia pela gravadora Biscoito Fino, com 13 faixas. Mônica é dona de uma voz doce e ao mesmo tempo forte. Sua capacidade de intepretação vai do erudito ao popular. Iaiá é o quarto CD de sua carreira. Na faixa Moro na roça faz homenagem a Clementina de Jesus, uma das que mais aprecio e inicia com Eu moro na roça iaiá / Eu nunca morei na cidade / Eu compro o jornal da manhã / Que é pra saber das novidades… A faixa Onde ir é de autoria da Vanessa da Mata, Eu não sei o que vi aqui / Eu não sei pra onde ir / Eu não sei porque moro ali / Eu não sei por que estou / Eu não sei pra onde a gente vai / Andando pelo mundo / Eu não sei pra onde o mundo vai / Nesse breu vou sem rumo. O CD pode ser adquirido no site da gravadora.

FILME
sugestões_filmeMoana: um mar de aventuras
A animação dirigida por John Musker e Ron Clements conta as aventuras de Moana Waialiki, uma jovem corajosa de 16 anos, filha do chefe de uma tribo na Oceania, família de longa tradição na navegação. Moana mostra um novo momento da Walt Disney Pictures, que ao trazer para as telas uma princesa guerreira, bem diferente das princesas retratadas até então nos mostra uma heroína feminista que não almeja encontrar um príncipe e nem ter uma vida de glamour. Assim, quebra alguns paradigmas no sentido de combater preconceitos em relação a figura feminina e parte em busca de seus ancestrais na companhia de Mauai, dois animais de estimação e o mar.

Sugestões de Eugênia Broseguini Keys, bibliotecária e mestra em Educação

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS