buscar
por

São Nicolau: "seja rico ou seja pobre o velhinho sempre vem"

São Nicolau, Sant Nicolas, Santa Claus, Pai Natal ou Papai Noel, não importa o nome. Quando chega o fim do ano ele sempre é lembrado principalmente pelas crianças. A figura do homem velhinho, gorducho, de barba branca e vestido de vermelho está mais viva do que nunca na mente dos pequeninos, mas poucos sabem de onde vem esta tradição.

O culto a São Nicolau é mais comum nos países da Europa Central e na Península Ibérica. Há um grande número de relatos e histórias sobre o santo, mas é difícil distinguir as autênticas das lendas. A tradição diz que os pais de Nicolau eram muito ricos e extremamente religiosos.

Costumava fazer doações anônimas em moedas de ouro, roupas e comida às viúvas e aos pobres. Dizem que Nicolau colocava os presentes das crianças em sacos e os jogava dentro das chaminés à noite, para serem encontrados por elas pela manhã. Dessa tradição veio a sua fama de amigo das crianças. É considerado o primeiro santo da Igreja a se preocupar com a educação e a moral tanto das crianças como de suas mães.

Originalmente, a festa de São Nicolau era celebrada no dia 6 de dezembro, com a entrega de presentes. Mais tarde, ele foi incluído nos rituais natalinos no dia 25 do mesmo mês, ligando Nicolau ao nascimento do Menino Jesus. Quando a tradição de São Nicolau prevaleceu, apesar de ser retirada pela Igreja Católica do calendário oficial em 1969, ficou associado pelos cristãos ao dia de Natal. No Brasil, a associação entre o santo e a festividade natalina não é tão direta.

O exemplo de São Nicolau ecoa fortemente na única comunidade dedicada ao santo na Arquidiocese de Vitória. Localizada no bairro Conquista, em Vitória há três anos que as celebrações acontecem na casa do coordenador da comunidade, Pedro Xavier, 78, devido à falta de um templo. Para ele, o santo deixa o exemplo de como devemos tratar os mais carentes: “Vivemos no meio do povo, vendo as dificuldades, reunindo todos com alegria, em especial as crianças, assim como São Nicolau”.

Lenda ou história, o importante é que a figura bondosa e caridosa, símbolo da fraternidade cristã, mantém-se viva e impressa na memória de todos. Que o amor e a generosidade de Nicolau com as crianças e com os pobres e a alegria em poder servi-los em nome de Deus seja uma herança que frutifique em cada um de nós. Feliz Natal!

A imagem que temos hoje do Papai Noel teve origem num relato de Clement Clark More “Um relato da visita de São Nicolau”, que o descreve passando pelas casas de todas as crianças bem comportadas, entrando pela chaminé e depositando os presentes nas árvores de Natal ou nas meias penduradas na lareira. O relato (poema) foi publicado por Harriet Butler em um jornal norte americano no Natal de 1823 sem fazer referência ao autor. Em 1844 Clark More reclamou a autoria desse poema.

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS