buscar
por

Recifes de Corais

De acordo com os cientistas, os corais são animais marinhos que segregam um exoesqueleto carbonático, quando adultos são pólipos individuais ou coloniais e encontram-se em todos os oceanos da Terra. Os recifes de corais são considerados o berço da vida nos oceanos, pois juntamente com os estuários são áreas que fornecem abrigo e alimento para a maioria das espécies marinhas antes destas se tornarem adultas e migrarem para suas áreas de distribuição. Desta forma, os recifes de corais têm grande importância para a manutenção e o desenvolvimento dos estoques pesqueiros, importante fonte de alimentação para o ser humano.

Nos últimos 30 anos, 50% da população mundial de corais desapareceu dos oceanos devido ao fenômeno de “branqueamento”, no qual os corais perdem sua cor original tornam-se brancos e morrem. Segundo alguns cientistas, esse fenômeno pode estar relacionado ao aumento da temperatura média dos oceanos. Os corais têm a capacidade de remover calor da atmosfera e convertê-lo em carbonato. Trata-se de um processo natural, entretanto, com o aumento considerável dos gases estufa lançados pelo homem na atmosfera, esse processo perde parte de sua eficiência e as águas dos oceanos têm sua temperatura média aumentada em até 2 graus Celsius. Observou-se que 28% dos corais da Grande Barreira de Corais, localizada na Austrália, morreram somente no ano de 2016.

Estudos mostram que as águas dos oceanos devem se aquecer ainda mais nos próximos anos podendo causar o extermínio das comunidades coralíneas ao redor do mundo em 30 anos.

Uma vez que o extermínio das comunidades de corais pode estar relacionado ao aumento no consumo de combustíveis fósseis, várias organizações ambientais internacionais têm realizado campanhas para que sejam pesquisadas e aplicadas tecnologias de produção de energia limpa. Desta forma, 43 países se comprometeram a implementar essa política de energia limpa, mas infelizmente somente a Alemanha faz parte do G7 (Grupo internacional composto por: Estados Unidos, Alemanha, Canadá, França, Itália, Japão e Reino Unido. Esses países são as sete economias mais avançadas do mundo de acordo com o Fundo Monetário Internacional, FMI). Apesar do governo americano não ter se comprometido oficialmente, 50 cidades americanas apoiam a iniciativa de desenvolvimento e implementação de fontes de energia limpa.

No Brasil, os recifes de corais se distribuem por aproximadamente 3.000 km de costa, do Maranhão até o sul da Bahia. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, existem no 18 Unidades de Conservação distribuídas nessa área que protegem os ambientes recifais brasileiros, dentre eles destacam-se o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha e o Parque Nacional Marinho de Abrolhos.

Recentemente um grupo de cinegrafistas e cientistas produziu um documentário que aborda o tema. Este documentário recebeu vários prêmios e está sendo exibido na Netflix. Mais informações no www.chasingcoral.com.

Hélio Gomes Cardoso Júnior
M. Sc. Oceanógrafo 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS