buscar
por

QUANDO O JOVEM PERGUNTA

Um jovem aproximou-se de mim e me perguntou: o que é preciso para ser ordenado presbítero da Igreja Católica? Eu me voltei para o jovem e lhe disse: trata-se de uma pergunta que exigirá de nós dois um bom tempo. Porém, vou ser breve e lhe apontarei o que me parece sumamente importante, entre tantas coisas, para que um jovem alcance este ideal.

A primeira coisa que se exige é: que ele seja homem e profundamente humano, equilibrado ou seja, que manifeste em sua vida um bom equilíbrio homeostático.

Ele, é evidente, precisa ser um homem de fé. Fé como Dom de Deus, correspondido, isto é, que tenha acolhido a Pessoa de Jesus Cristo em sua vida e tenha um verdadeiro encanto por Jesus e sua Igreja. É evidente, também, que este encanto é fruto de uma crescente correspondência ao Amor de Deus manifestado cotidianamente no Evangelho, em Jesus! Isto se aperfeiçoa no confronto diário com a Palavra de Deus, no seminário, “Casa de Conversão” e preparo do jovem vocacionado ao sacerdócio. Nesta “Casa” ele aprende a ser gente como Jesus, crescendo como gente, como Jesus, humano, profundamente humano e de Deus. O progresso se torna mais sólido e veloz quando a família tenha sido este lugar de humanização e de fé correspondida.

Esta é a coluna vital e fundamental para que alguém seja presbítero: humano e totalmente de Deus! Aos poucos, em sua caminhada, ele vai percebendo o que significa ser humano como Jesus e totalmente de Deus. A Igreja o convida, não o obriga, mas convida a oferecer-se totalmente ao Senhor na Igreja de Cristo. Ele ao escolher este jeito de viver totalmente de Deus, renuncia ao direito de constituir família, porque seu coração deve estar livre, indiviso como o Coração de Cristo, todo do Pai e, por isso, todo da Igreja para a humanidade, fazendo parte de um presbitério evangelizador, anunciando e celebrando em comunhão. Ele se torna homem de comunhão, humano e totalmente de Deus!

O Seminário, “Casa de conversão”, é o lugar onde o jovem entra em aprendizado e discernimento, buscando qual a vontade de Deus sobre a sua vida. Sua escolha deve ser consciente, livre e responsável. Ser presbítero da Igreja Católica no Rito Romano é um estilo de vida, um caminho diferente e somente para quem recebeu o convite de Deus para essa missão sagrada. É missão para poucos! Evangelizar é missão de todos os cristãos seguidores de Jesus Cristo! O presbítero católico é um cristão chamado a fazer as vezes de Cristo, cabeça da Igreja! Poucos são os chamados para essa missão indispensável na vida da Igreja!

Para exercer bem sua missão o presbítero precisará ter uma sólida formação espiritual como discípulo missionário, uma excelente formação intelectual, em suma, como presbítero da Igreja, deve ser como a Igreja e na Igreja para a humanidade, perito em humanidade. Por isso, ele é homem das relações humanas do entendimento e do diálogo, contribuindo para a cultura do encontro.

Que tal, meu caro jovem? Essa vocação exige valentia, coragem, despojamento, aventura da fé e da esperança. Quem estiver apegado a algum valor secundário não deve arriscar-se! Haveria outras coisas a lhe dizer, ainda, mas acredito que já dê para você pensar. Sou feliz em ser padre. Vale a pena apostar em Jesus e sua Igreja!

diálogos

Dom Luiz Mancilha Vilela, ss.cc.
Arcebispo Metropolitano de Vitória

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS