buscar
por

POR QUE FAZER O SINAL DA CRUZ ANTES DA PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO?

POR QUE FAZER O SINAL DA CRUZ ANTES DA PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO?
O costume de fazer o Sinal da Cruz antes da proclamação do Evangelho não é mero ritualismo. Pelo contrário, é um gesto carregado de profundo significado sobre a fé: evoca a participação e o envolvimento, por inteiro, do fiel cristão que celebra o Mistério Pascal de Cristo na liturgia. A Palavra de Deus deve formar o homem interior e discernir suas ações, sua conduta, sua vida e seus projetos.
A Palavra anunciada com os lábios deve penetrar o pensamento. Por isso, faz-se o Sinal da Cruz na fronte e na boca. Assim como todo o nosso corpo, a boca deve ser instrumento de anúncio da Boa Notícia do Reino. O Sinal da Cruz sobre o coração – sede simbólica dos sentimentos, dos desejos mais nobres como o amor, a ternura, a compaixão e a misericórdia – predispõe o fiel a acolher, no seu íntimo, o próprio Jesus que anuncia: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo” (Ap 3, 20).
A Palavra de Deus sonda o coração humano e tem o poder de purificá-lo dos maus sentimentos; fazendo crescer e desabrochar o homem redimido por Cristo pelo poder da Cruz Salvadora.

Pe Jorge Campos Ramos
Reitor do Seminário Nossa Senhora da Penha e vigário geral.

 

QUAL A FORMA CORRETA DE RECEBER A COMUNHÃO, NA BOCA OU NA MÃO?
A orientação da Igreja é de que quem decide é o fiel cristão. Se o fiel for receber na boca deve abri-la e estender a língua para facilitar a entrega do ministro.
Se for receber nas mãos, faça delas uma mesa colocando uma sobre a outra mantendo-as abertas e comungue na frente do ministro. A Eucaristia é um sacramento, isto é, um sinal sensível que significa e realiza o encontro de Deus com o fiel cristão e que tem como consequência que o fiel também seja eucarístico.

Dom Luiz Mancilha Vilela
Arcebispo Metropolitano de Vitória.

 

ONDE IR QUANDO PRECISAMOS DE UM SERVIÇO DE SAÚDE?
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) esclarece que a porta de entrada para qualquer serviço público de saúde é a Unidade Básica de Saúde. Lá, o paciente é atendido, avaliado e, se necessário, encaminhado para especialista. Nos casos com indicação de consulta e/ou exames de especialidades não ofertadas pelo município, os pacientes são encaminhados para atendimento na rede estadual via Sistema de Regulação. Os agendamentos seguem critérios médicos e são realizados pela Central de Marcação de Consultas e Exames. Nos casos de urgência e emergência, ou seja, com risco de morte, como por exemplo, infarto, AVC, queimaduras graves, afogamentos, entre outros, o paciente deve acionar o SAMU pelo telefone 192 ou ir até o pronto-socorro.

Assessoria de Comunicação da Sesa/ES

 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS