buscar
por

MARCAS DE FRANCISCO EM CINCO ANOS DE PONTIFICADO.

Desde o momento em que foi escolhido, em 13 de março de 2013, o Papa Francisco não deixa de nos surpreender. Assume o nome de uma das maiores referências da Igreja. Sua marca fundamental reflete o sentido do termo “Pontífice”, ou seja, o construtor de pontes. Para isso, é preciso primeiro descer do trono de São Pedro e ir no meio do povo, sentir o cheiro do povo.

A encíclica publicada em defesa da ecologia, a defesa dos refugiados pelo mundo afora e as mediações na diplomacia mundial, principalmente entre judeus e palestinos e Estados Unidos e Cuba, o colocam como uma das maiores lideranças da humanidade atual.

Com coragem discute temas polêmicos como a ordenação de mulheres e de homens casados, a comunhão para divorciados e a pregação da Palavra feita por leigos. Não tem nenhum constrangimento ao afirmar que “um mundo no qual as mulheres são marginalizadas é um mundo estéril”. É preciso mudar a cultura machista que violenta e mata tantas mulheres. E completa: “escutem mais as mulheres, não sejam machistas”.

Seu magistério busca intuição em campos nunca imaginados. Rejeita o discurso conservador atual que afirma que a justiça social seja invenção dos comunistas, e afirma de maneira lapidar que “eu só posso dizer que os comunistas têm roubado a nossa bandeira”. Sim, a justiça social é um tema essencialmente evangélico.

Entre os problemas mais sérios está a questão do abuso sexual por parte de membros da hierarquia. Em sua visita ao Chile voltou aos noticiários do mundo todo.

Por este motivo ele afirma: “Sinto-me impelido a me responsabilizar por todo o mal que fizeram alguns padres”.
Sua maior resistência está na ala conservadora e não se refere a posições doutrinárias. Portanto, é totalmente caluniosa qualquer afirmação relativa à heresia. As resistências nascem do rompimento da zona de conforto em que muitos vivem e privilégios que insistem em manter.

Não há dúvida que seu maior legado nestes cinco anos é o trabalho pastoral. Trata-se de um “Pastor com cheiro de ovelhas”. Por isso, Francisco não abre mão de estar no meio do povo. Propõe uma reforma das atitudes antes mesmo da reforma das estruturas.
Sua fórmula simples de falar, de conduzir e de ser, fazem dele nestes cinco anos o grande construtor de pontes. Pontes de diálogo, de encontro, de acolhimento, de ação para curar feridas. A porta da Misericórdia de Deus se abre como mistério para a Salvação do mundo. Por isso, sua admiração ultrapassa os limites da Igreja Católica, alcançando a humanidade em suas diferentes manifestações de religiosidade e fé, e os ateus. Resta-nos agradecer a Deus por esta graça e dizer de maneira bem forte: “VIVA O PAPA FRANCISO” por muitos anos!

PapaFranciscoAudiencia_MarinaTestinoACIPrensa_20092017

Edebrande Cavalieri
Doutor em Ciências da Religião

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS