buscar
por

FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS A FÉ NOS FAZ PARTICIPAR

Desde 1962 a Igreja Católica no Brasil realiza a Campanha da Fraternidade, escolhendo a cada ano, um tema social para ser refletido à Luz da Palavra de Deus de forma a impulsionar a ação dos cristãos para uma participação na vida pública. Para este ano o tema é Fraternidade e Políticas Públicas e o texto bíblico que serve de inspiração é do Livro do Profeta Isaías (1,27) “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

O texto é dividido em 3 partes. Na primeira, a explicação sobre o que são políticas públicas, como se elaboram ou deveriam ser elaboradas e os atores dessas políticas. Na segunda, textos bíblicos do Antigo e Novo Testamento, referências aos pensamentos dos Padres da Igreja e da Doutrina Social sobre justiça e direito. A terceira, princípios e valores fundamentais como solidariedade, bem comum, honestidade e sugestões de ação.

O texto- base, que é o instrumento de trabalho da Campanha, define Política Pública como “ações do governo que garantem a gestão do Estado na solução de determinado problema” e, considera que para tal é necessário que se determinem algumas etapas identificadas em cinco: “Identificação do problema – Formulação de uma solução – Tomada de decisões – Aplicação da ação ou implementação”.

No modelo democrático costumamos delegar esse processo aos políticos que são eleitos para representar o povo nessas decisões, mas o texto alerta para a importância de não apenas elegermos representantes para cuidarem disso, mas nos envolvermos em todas as formas possíveis para participar do processo. O texto aponta como formas mais comuns: Audiências Públicas, Conselhos Gestores ou de Direitos, Conferências, Fóruns e reuniões, organização da Sociedade civil e Movimentos Sociais.

O texto cita que desde o início Deus vê a miséria de seu povo e desce para libertá-lo e os profetas no Antigo Testamento se empenham para conduzir o povo em direção ao direito e à justiça. Aponta como Jesus “acolhia as esperanças religiosas de seu povo, as quais incluíam dimensões sociais e políticas bem definidas”. Relembra que para a Doutrina Social, “a política é uma forma exigente de se viver a caridade cristã, embora não seja a única”.

O propósito da Campanha é sensibilizar cada um a propor e se envolver na elaboração de políticas públicas sempre a partir do compromisso com o Evangelho e a prática da caridade. Como disseram os bispos na Conferência de Aparecida “nesta tarefa e com criatividade pastoral, devem-se elaborar ações concretas que tenham incidência nos Estados para a aprovação de políticas sociais e econômicas que atendam as várias necessidades da população e que conduzam para um desenvolvimento sustentável”.

A fé nos faz participar.

Maria da Luz Fernandes
Jornalista

 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS