buscar
por

Empreendedorismo

O Espírito Santo é um Estado rico em projetos de desenvolvimento de grande porte, como as rochas ornamentais, atividade cafeeira, petróleo e gás, celulose e minério. Porém, essas atividades abrangem cerca de 15 municípios, enquanto os demais vivem da microeconomia, do empreendedorismo familiar e dos pequenos negócios. Atualmente, no Estado existem 227 mil micro e pequenas empresas e 103 mil micro empreendedores individuais (MEI) formalizados. Existe ainda uma margem de negócios não formalizados que pode chegar a 120 mil empreendedores. (Informações da Aderes)

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL
Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. A formalização do MEI pode ser feita pela internet, no site www.portaldoempreendedor.gov.br. No Espírito Santo existe a Unidade Móvel, que em uma parceria entre o Governo do Estado e as prefeituras, realiza o atendimento e formalização dos empreendedores nas comunidades.

COPA DO MUNDO
A Copa do Mundo já rendeu cerca de R$ 280 milhões em negócios para micro e pequenas empresas e até o final do evento a expectativa é que o faturamento chegue a R$ 500 milhões, segundo levantamento realizado pelo Sebrae com base nas rodadas de negociações promovidas nas 12 cidades-sede da Copa. O evento esportivo é uma oportunidade de divulgação das atividades realizadas pelos profissionais das empresas, inclusive para os estrangeiros.

EMPREENDEDORISMO SOCIAL
Nós, convencidos de que o empreendedorismo precisa estar presente na vida das pessoas, temos uma visão mais ampla. Para nós, o empreendedorismo é uma forma de reduzir a violência, é instrumento de reduzir pobreza, é instrumento de inclusão sócio-produtiva, empreendedorismo é oportunidade. Nos bairros periféricos mais pobres, percebemos que falta oportunidade, falta a presença do Estado, de estrutura física. O Estado então percebeu que não basta fazer essa prevenção somente com polícia, e sim, com saúde, cultura, esporte e empreendedorismo, oportunidade. O empreendedorismo no Espírito Santo tem tomado dimensões que seguem para a direção do social. Estamos convencidos que, para tirar 126 mil famílias que se encontram na extrema pobreza em nosso Estado, é preciso ajuda-los a empreender, despertar o empreendedorismo nestas pessoas.

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS