buscar
por

E assim se faz uma rede de pesca

“São pessoas que convivem com o mar e aprendem a esperar dele tudo que a vida obtém sem pressa, sem ambições… E que reflete a eterna lição de paciência e grandeza do mar.”

Adelzira Madeira

Uma profissão que exige concentração e habilidade para que o produto saia com qualidade e dure por um longo período! Até aí uma atividade como outra qualquer, mas, e se somarmos a isso a opção de passar os dias trabalhando calmamente a beira mar ao sabor da maré? Uma profissão de viver do mar e para o mar!

É assim que encontramos os profissionais capixabas empenhados na fabricação e conserto de redes de pesca (e demais materiais usados pelos pescadores), que levam até nossa mesa um dos alimentos mais saudáveis que conhecemos: os peixes e frutos do mar.

Essa técnica (que as máquinas não conseguiram substituir) de confeccionar, fio a fio, as redes de “Espera, Tresmalho ou Arrasto” conta ainda hoje com o dom de artesões que mantêm viva as atividades de pesca no litoral do Espírito Santo.

As redes ou malhas, confeccionadas a milhares de anos, têm hoje como matéria-prima principal o fio de nylon ou nylon de seda (a espessura dos fios dependem do esforço a que será submetida a rede). É confeccionada em malhas retangulares que variam entre 1,5 cm e 5 cm, ou seja, com espaço mais longos ou mais curtos entre as amarrações dependendo do pescado que se quer fisgar. Pode ser encontrada facilmente nas praias de Itapuã, Manguinhos, Praia do Suá, Itaúnas, Piúma, Itapemirim ou em qualquer outra parte do litoral capixaba que ainda preserve esse ofício tão tradicional.

Enfim, nós capixabas passamos apressados pela beira mar e nos esquecemos de apreciar a calmaria das ondas e demonstrar reverência aos artesãos que se ocupam de confeccionar esses “panos de malha”, tão bem elaborados em sua complicada composição.

Diovani Favoreto

Historiadora

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS