buscar
por

Contam nas rodas de conversa capixaba que...

29368941

Durante um encontro, Rubem Braga listava para Vinicius de Moraes todos os artistas que se destacavam no cenário brasileiro e eram nascidos no Espírito Santo, mais precisamente, em Cachoeiro de Itapemirim. Sendo ele mesmo, Rubem Braga, natural do sul do Estado.

Surgiu daí a grande alcunha de Cachoeiro, “Capital Secreta do Mundo”, tal era constância com que citavam o Espírito Santo e o número de personalidades que daqui saíram, para conquistar seu espaço na mídia nacional.

Entre a relação de cantores, listada para conquistar essa fama, estavam o eterno rei Roberto Carlos e Sérgio Sampaio, que saiu de Cachoeiro para “Botar seu bloco na rua”.

Outro cachoeirense, Raul Sampaio, eternizou a canção “A Carta” ao declamar “Escrevo-te estas mal traçadas linhas. Porque veio a saudade visitar meu coração” e ainda escrever “Meu pequeno Cachoeiro”, que se eternizou na voz de Roberto Carlos.

O cachoeirense Carlos Imperial era também compositor, apresentador, produtor e, principalmente, uma figura polêmica e popular que apresentou a Jovem Guarda para o Brasil. Suas composições ganharam as rádios e se espalharam pelo Brasil. Músicas como “Mamãe passou açúcar em mim”, “Você passa e eu acho graça”, “Vem quente que eu estou fervendo” e “A Praça” marcaram época.

Já a “musa da Bossa Nova”, Nara Leão, nasceu em Vitória, na tradicional família Barbosa Leão e, já adulta, abriu seu apartamento em Copacabana para os principais cantores que vieram a compor a Bossa Nova brasileira.

Nara era uma descobridora de talentos, além de intérprete, e em seu currículo podemos citar “Alegria, Alegria”, “Diz que fui por aí”, “O barquinho” e “O Circo”.

Outro descobridor de talentos foi Roberto Menescal, nascido em Vitória, compositor, violinista, arranjador e produtor musical. Além disso, gravou com os principais nomes da Bossa Nova.

O que todas essas figuras têm em comum?

Além de serem capixabas! Deixaram o Espírito Santo e fizeram sucesso cantando para o Brasil a partir das rádios e TVs do Rio de Janeiro.

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS