buscar
por

COMUNICAÇÃO: MENTIRA OU VERDADE

O mês de maio, além de ser o mês de Maria vai se tornando também o mês da comunicação cristã. Aliás, Maria é a Mãe do Comunicador por excelência: Jesus que se revelou como Caminho Verdade e Vida.

Pois bem, o Santo Padre neste mesmo assunto, comunicação, manifestou sua preocupação com as falsas notícias que estão tornando-se comuns como se fossem verdadeiras. Isto é muito grave e poderá causar graves consequências. Porém, na mídia, além da preocupação com as falsas notícias tenho ouvido e visto propagandas exaltando a importância e a necessidade do respeito que devemos ter entre nós seres humanos.

Não sei se trata de uma reação às falsas notícias ou defesa de certas atitudes que marginalizam pessoas e grupos específicos da sociedade. Contudo, tenho para mim que o comunicador cristão ou não cristão, mas pelo menos ético, na sua maneira de ser, para exercer bem sua profissão e tornar-se, por isso, um verdadeiro anunciador de notícias, precisa cultivar no seu coração a verdade.

A verdade é uma virtude que pode ser expressa nas atitudes de respeito e de honestidade. O cidadão cristão ou não cristão, responsável e empenhado em comunicar bem, obedece três princípios que norteiam a sua vida plasmada na verdade: O primeiro princípio é: honestidade consigo mesmo. Comunicador que não é honesto consigo mesmo não merece crédito! A pessoa humana aprende desde o berço valores inegociáveis que influenciam na maneira de se comunicar. Por exemplo ser honesto não é uma virtude, mas uma obrigação que ele aprendeu desde o seio materno. Costuma-se dizer “é uma questão de caráter”.

O segundo princípio é: honestidade com o outro, seja quem for este outro. Ele, honesto jamais será um devastador de um outro ser humano como ele. Ele sabe que não tem direito de violar ou destruir o outro com sua comunicação. Não seria comunicação e sim destruição de um seu semelhante. O nosso semelhante é nosso espelho, tratá-lo mal é projetarmos nossos problemas nele. A Sagrada Escritura diz: Não faças a ninguém o que não… queres que te façam” Tb 4,15. “Tudo aquilo, portanto, que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles, pois esta é a Lei e os Profetas” Mt 7,12.

O terceiro princípio é: honestidade com Deus. Deus é Amor, Verdade e Vida. O comunicador cristão deve ser portador da verdade com amor e cultivador da vida!

No coração deste comunicador não há lugar para falsas notícias. A referência do comunicador cristão é Deus. O comunicador não é dono da verdade. Ser honesto com Deus é reconhecer sua limitação diante do Absoluto no aprendizado constante daquele que se revelou amor e não ódio ou destruição. O comunicador é um construtor de pontes da vida.

Penso, pois, que além de gastarmos muito tempo com as falsas notícias parece-me mais urgente a formação de bons comunicadores e autênticos veículos de comunicação que levem a sério a auto-censura e a boa comunicação.

foto diálogospreview_2016-10-24_CBCIVitoriadia1_048

Dom Luiz Mancilha Vilela, ss.cc.
Arcebispo Metropolitano de Vitória

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS