buscar
por

Acompanhamento de gestantes e crianças até 6 anos

Entre as formas de dar atenção e cuidar dos mais vulneráveis, a Revista Vitória destaca este mês o bem que fazem algumas das pastorais na Arquidiocese.

Acompanhamento de gestantes e crianças até 6 anos
Pastoral da Criança
Tem um trabalho fantástico e foi responsável pela queda da mortalidade infantil em todo o Brasil. Mas, não é só isso! Quantas mães foram orientadas desde a gravidez, até nos cuidados posteriores com a criança. É lindo de se ver os depoimentos. E agora, nos tempos modernos, de fast food e outras práticas, a pastoral encara outro desafio: a obesidade infantil. Prontos para o trabalho de novo! Balanças novas, receitas e muita, muita informação amorosa. Um caso inesquecível para a Pastoral aconteceu durante uma ação na qual encontramos uma mãe cadeirante, grávida do segundo filho, sem muitos recursos. A acolhia dela em relação aos agentes da foi tão especial que mais parecia que era ela quem ajudava a todos. O acompanhamento de sua gestação, bem como do filho já nascido, foi graças aos ensinamentos e experiência acolhedora dos agentes.

Presença onde o doente precisa
Pastoral da Saúde
fazerobempastoraldacriança

Essa palavrinha saúde, já vem com tanta coisa atrelada, inclusive um desejo grande de que ela seja bem feita! Extensa também é a potência do bem que pode ser feito. Que o diga quem está nos hospitais e encontra quem agilize seu atendimento, aconselhe ou simplesmente esteja presente conversando e rezando por ela; que o diga quem quer ver melhorias no atendimento público e não pode participar das instâncias de Conselhos; que o diga quem se esquece das boas práticas com alimentos, produtos que a natureza oferece, bem como práticas alternativas de bem viver.
Este ano o grupo da Pastoral encarregado da visita aos hospitais ganhou um grande impulso, fazendo-se presente em grande parte dos hospitais. Uma presença discreta, mas muito fiel, levando conforto espiritual aos enfermos e seus familiares.

A fé na visita aos encarcerados
Pastoral Carcerária
fazerobempastoralcarceráriaQuanto desafio! Mexe interiormente com a gente que pensa que só o castigo dá jeito. Não dá para esquecer a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida num presídio de Segurança Máxima, feita por vários padres e agentes. Foi uma visita de silêncio eloquente, de um bem tão grande que nunca poderá ser medido. Que bem pode ser feito para quem precisa se redimir e, às vezes, nem pode colaborar ou caminhar sozinho. “Estive preso…”

Apoio aos migrantes
Pastoral Migratória

pastoraldomigrante

Parece um sonho. Enquanto se observa pelo mundo um festival de hostilidade, a gente sabe que é possível fazer o bem na acolhida. Deixar tudo pra trás, terra estrangeira, dificuldade de comunicação. Fazer o bem nesses casos é tanto, mas também tão pouco! Às vezes uma informação, uma indicação, uma abertura de portas, outras, cuidados mais sérios. Temos quem faça bem essas coisas entre nós. No ano passado, a Pastoral Migratória da Arquidiocese e a Cáritas Arquidiocesana de Vitória se uniram a assistentes sociais de Vila Velha para ajudar o marinheiro mercante Vladimir Dimitrov Andonor, 57 anos, a retornar para a Bulgária, sua terra natal, após ele ter morado por seis meses em um abrigo em Vila Velha. Emocionado ele agradeceu o esforço de cada um e afirmou ter se sentido acolhido, protegido e ajudado por todos.

Idosos acolhidos
Pastoral da Pessoa Idosa
Muito interessante de se ver que, quem pensava em ser bem cuidado por causa da idade, descobre que pode cuidar bem não só de si, mas também dos outros, dos que se deixam vencer pelo peso dos anos. Idosos abandonados, ou que se abandonam e perdem as rédeas de sua vida, ganham mais vida se são simplesmente bem acolhidos. Quanto bem se pode fazer sem fragilizar a quem ainda pode contribuir com tantas coisas! Durante uma visita, agentes da Pastoral da Pessoa Idosa sensibilizaram uma comunidade sobre a urgência de uma cirurgia cardíaca a ser realizada em um senhor, que sozinho cuidava da esposa, também adoentada. Todos estão empenhados para cuidar e dar atenção ao casal durante o processo. Vai dar tudo certo!

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS