buscar
por

A espiritualidade litúrgica

A liturgia da Igreja é a base, referência e fundamentação de vida para os batizados em Cristo, sobretudo na expressão e dinamicidade dos sacramentos da iniciação cristã: batismo, confirmação e eucaristia. O ano litúrgico é o autêntico e singular patrimônio místico e espiritual para os cristãos que querem e se propõem, com segurança e foco, aprofundar a comunhão com o Mistério e progredir no seguimento do Filho de Deus.

As antigas e fundamentais catequeses dos Pais e Mães da Igreja, elaboradas ao longo dos seis ou sete primeiros séculos do cristianismo, tomaram como ponto de partida as celebrações dos sacramentos da iniciação cristã, a fim de introduzirem (mistagogia) os neocristãos na ímpar riqueza da vida em Cristo. A profundidade dessas catequeses é um legado a toda a Igreja, até o tempo presente, sendo referenciais para o aprofundamento perene da fé.

O Concílio Vaticano II, através da Constituição “Sacrosanctum Concilium”, proclama a liturgia como a obra da salvação continuada pela Igreja (SC 6), afirma a presença de Cristo na mesma (SC 7), e destaca a liturgia como cimo e fonte da vida eclesial (SC 10). A reforma conciliar tem a sensibilidade e o empenho de fomentar e conduzir o povo cristão a uma vivência mais plena, consciente e ativa na participação litúrgica (SC 14).

A Igreja é continuamente desafiada a aprofundar e a viver o Mistério Pascal do Senhor por meio de uma autêntica vida litúrgica, como origem, fonte e sentido de sua fé. Esta será comunicada na vivência catequética, na elaboração teológica e no itinerário testemunhal e missionário dos batizados. Assim haverá mais foco e eficácia na superação de uma fé intimista, na qual o mero devocionismo subjetivo, as tendências desfocadas e os desvios de alguns movimentos religiosos – como também de alguns setores da mídia -, não serão o determinante ou o imperativo na formação e na prática religiosa de muitos cristãos, como tem ocorrido largamente.

Portanto, o Mistério celebrado é, em essência e por excelência, a espiritualidade cristã. A referência litúrgica ecoa também na oração pessoal e na prática pastoral. Que a vivência do Ano da Graça do Senhor, inaugurado pelo Cristo e explicitado pela prática litúrgica das comunidades, seja a causa da alegria e o diferencial dos membros da Igreja de Jesus de Cristo!

Fr. José Moacyr Cadenassi, OFMCap

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS