buscar
por

A construção de novas possibilidades educativas

Reinventar a escola, ressignificar o conhecimento e conceber o estudante como sujeito da educação são premissas que deverão nortear as práticas de gestão da escola pública na atualidade.

Não existem adolescentes que não se encaixam no padrão escolar. Existe sim uma instituição que vem, ao longo de décadas, adiando uma proposta de sociedade que reconheça a educação como direito constitucional subjetivo. É nesta direção que os sistemas educacionais precisam dirigir seus projetos e programas centrados no propósito de que seus alunos podem e têm direito a aprendizagem, avançando na escolarização ao longo da vida. Quando todas as crianças têm acesso à escola, diz-se que o acesso à escola está universalizado o que possibilitará elevar a média da escolarização de 8,5 anos de estudo a 12 anos.

As políticas educacionais devem ser formuladas para se obter e manter uma educação de qualidade. Devem se originar de estudos aprofundados a partir de diagnósticos, entre outros, provenientes de análises dos dados coletados pelos Censos Escolares, por pesquisas domiciliares e por avaliações da aprendizagem. As políticas implementadas, por sua vez, também precisam ser avaliadas para verificar sua eficácia, a fim de realizar as correções de rumo.

Nesta direção estamos desenvolvendo a política educacional na cidade de Vitória. Mergulhar nos indicadores de desempenho absorvendo o cotidiano educacional vivenciado nas 1.100 salas de aula tem feito com que técnicos da Secretaria de Educação, juntamente com os profissionais do magistério municipal, construam juntos, possibilidades educativas que atinjam o objetivo de manter os 50 mil estudantes na escola, aprendendo. A aprendizagem dos meninos e meninas, jovens e adultos, é fruto de fatores diversos, internos e externos à escola, interligados e interdependentes. É na combinação criativa desses fatores que se produz o conhecimento. A força motriz desse processo reside no compromisso do poder público, dos atores da escola, dos pais e responsáveis em assegurar que a educação de qualidade seja a base para a garantia do direito de aprender das crianças dos adolescentes e dos adultos.

Este é o propósito do Programa Educação Ampliada. Um lema que norteia a cartela de projetos da cidade com ações que contemplam os três grandes eixos da política educacional, quais sejam, o currículo, a formação e a gestão. É sabido que a maior transformação da dinâmica escolar acontecerá por meio do currículo, pois ele é a materialização do conjunto de conhecimentos necessários para o desenvolvimento de crianças, jovens e adultos intelectualmente autônomos e críticos. Neste processo também são debatidas as metodologias de ensino que oxigenam o processo educativo na medida em que dialoga e atrai os jovens para a escola, portanto, à escolarização.

Adriana Sperandio

Secretária de Educação da Prefeitura de Vitória

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS