buscar
por

A Árvore

Eu tenho uma árvore, ou será que a árvore me tem?

A história começou há pelo menos 40 anos quando um antigo morador resolveu plantar no portão de entrada de sua casa um pé de Jacarandá. O tempo passou, a casa mudou de dono, a árvore foi crescendo, crescendo, até se tornar linda e frondosa como está hoje. Vive conosco e todo dia nos abençoa. Sou grato pela sua presença viva e forte de natureza em sua forma mais pura.

Não foram poucas as vezes que saí em defesa do jacarandá. Sempre que estou varrendo o quintal, e que alguém passa pela rua, solta algum desaforo: “Que trabalheira dá essa árvore, né?” – Respondo de prontidão – “Não acho, eu até gosto de varrer as folhas para ficar mais tempo pertinho dela”. Já ouvi coisas do tipo: “Essa árvore é um atraso, joga folhas na minha casa lá na esquina” Eu retruco: “ Ainda bem que ela não joga pedras na sua casa, né?”. Tem inúmeras outras provocações, mas a pior foi essa: “Vou rezar pra essa árvore morrer…” – Fiquei engasgado… Pensei por um instante: Como as pessoas são ingratas e não percebem o bem da presença da árvore em sua vida e na vida do planeta!

O jacarandá segue firme e mais vivo do que nunca, como se não se importasse com tamanha ingratidão humana. As árvores, além da beleza, absorvem a radiação solar deixando o ar mais fresco. Retiram o dióxido de carbono da atmosfera e liberam oxigênio. Funcionam como filtros eliminando a poluição do ar. Fazem a reversão das correntes de ventos e sua redistribuição em ar fresco. Funcionam muito melhor do que ar condicionado. Reduzem consideravelmente os barulhos dos carros e da vida urbana. Sem falar da contribuição psicossocial: basta-nos olhar para uma árvore e ela vai acalmando-nos o espírito e transmitindo paz ao nosso coração. E a quantidade de vidas presentes numa única árvore? Quantos pássaros e insetos retiram dali seus alimentos e fazem dela sua morada?

Minha questão é… O que houve com o ser humano que se voltou contra a natureza? E o Brasil tem sido campeão em desmatamentos. Sem a presença das árvores a vida nas cidades seria praticamente impossível. Que visão de mundo pequena é essa? Excluímos as árvores, estamos matando os rios e afastando-nos da natureza. Substituir árvores por prédios? A árvore é uma revolução! Não há solidão pior do que uma terra sem árvores. As sombras dos prédios não refrescam as cidades, sabe por quê? Porque não têm folhas. As árvores temem os cupins, mas o pior ‘cupim’ tem sido o homem. Temos muito que aprender com as árvores. Quanto mais forte sopram os ventos, mais elas se fincam fundas na terra. Aqui temos um precioso ensinamento: retirar das turbulências da vida, forças para criar raízes mais fundas. Pesquisas comprovam que a quantidade de plantas no entorno das casas afetam positivamente a saúde, diminuindo pressão arterial, freqüência cardíaca e outros indicadores de stress.

Warllem Silva
Fotógrafo e Poeta 

editor1

Arquidiocese

Fundada em 1958 e abrangendo 15 municípios do Estado do Espírito Santo conta com 73 paróquias. Desde 2004 D. Luiz Mancilha Vilela é o arcebispo da arquidiocese.

Mais posts do autor

COMENTÁRIOS