buscar
por

Vaticano publica nova constituição apostólica do Papa Francisco

A Constituição Apostólica “Veritatis Gaudium” ou “A Alegria da Verdade” é um novo documento escrito pelo Papa Francisco sobre as universidades e faculdades eclesiásticas, que até então eram regidas pela Constituição Apostólica Sapientia christiana (Sabedoria cristã), documento datado de 15 de abril de 1979 e escrito pelo então Papa João Paulo II.

Diante dos desafios atuais, a Congregação para a Educação Católica propôs ao Papa Francisco um novo quadro normativo. O Papa assumiu esta revisão e decidiu fazer uma nova constituição apostólica. Ele mesmo, no proêmio do documento, defende essa necessidade de atualização.

“Passados quase quarenta anos, fiéis ao espírito e às orientações do Vaticano II e como sua oportuna atualização, torna-se hoje necessário e urgente uma atualização da referida Constituição Apostólica. De fato, permanecendo plenamente válida na sua visão profética e no seu lúcido ditame, precisa de ser integrada com as disposições normativas entretanto emanadas, tendo em conta ao mesmo tempo o desenvolvimento no campo dos estudos acadêmicos que se registou nas últimas décadas bem como as mudanças no contexto sociocultural a nível global, e ainda quanto foi recomendado a nível internacional na implementação das várias iniciativas a que aderiu a Santa Sé”, escreveu o pontífice.

O prefeito da Congregação para a Educação Católica, cardeal Giuseppe Versaldi afirmou que a Constituição sobre os estudos acadêmicos eclesiásticos indica o sentido para uma renovação e um impulso da contribuição dos estudos eclesiásticos para uma Igreja missionária em saída, como inspirada na “Evangelii Gaudium

De acordo com o secretário da Congregação, dom Angelo Vincenzo Zani, além de confirmar as disposições anteriores, a Constituição prevê novidades de natureza diversas como os cursos de estudos e aos relativos títulos, a figura dos docentes e de pessoas com cargo de responsabilidade e ainda a aspectos institucionais.

Uma das novidades é sobre o ensino à distância. No artigo 31, parágrafo 2, a constituição apostólica Veritatis gaudium prevê que uma parte dos cursos possa ser desenvolvida na modalidade à distância se o ordenamento dos estudos, aprovado pela Congregação para a Educação Católica, prevê isso e determina as condições.

“A revolução informática e telemática é perpetrada amplamente nos sistemas acadêmicos abrindo cenários antes impensáveis com oportunidades novas de conhecimento, estudos e pesquisa”, afirmou Dom Zani.

COMENTÁRIOS