buscar
por

Papa Francisco: "É preciso criar uma cultura da adoção"

Durante a visita dos membros do Instituto Hospital dos Inocentes de Florença ao Papa Francisco, manhã desta sexta-feira, o Pontífice falou sobre a importância de se colocar em prática a adoção.

Em sua fala aos visitantes, Francisco retomou a história do Instituto, que já acolhe crianças há mais de seis séculos, lembrando das medalhas quebradas ao meio que as mães deixavam junto de seus recém-nascidos ao entregá-los na entidade. A esperança era que elas pudessem reconhecer os filhos e resgatá-los quando tivessem condições melhores para criá-los.

O Papa lembrou que hoje no mundo há muitas crianças que idealmente têm a metade das medalhas: são as vítimas das guerras, das migrações, as crianças não acompanhadas, as vítimas da fome, e questionou quem estaria com a outra metade. Respondendo afirmou:

“A Mãe Igreja”. Nós temos a outra metade. É preciso refletir e fazer entender às pessoas que nós somos responsáveis por esta outra metade e ajudar a fazer hoje outra ‘casa dos inocentes’, mas mundial, colocando em prática a adoção”, frisou.

Francisco evidenciou que muitas vezes as pessoas querem adotar crianças, mas que há uma grande burocracia – isso quando não há corrupção pelo meio, em que se paga… O Papa pediu para ser ajudado nisso: a semear a consciência de que nós temos a outra metade da medalha dassas crianças.

“Muitas famílias sem filhos. É preciso criar uma cultura da adoção porque as crianças abandonadas, sozinhas e vítimas de guerras são muitas; que as pessoas aprendam a olhar para a outra metade e a dizer: ‘Também eu tenho a outra metade’.” Francisco concluiu pedindo que os visitantes trabalhassem nesse sentindo, mas é preciso lembrar que toda a sociedade mundial também precisa interiorizar esta mensagem do Santo Padre.

 

 

COMENTÁRIOS