buscar
por

Dom Dario presidiu a Missa na manhã do sétimo dia da Assembleia Geral da CNBB

O Arcebispo da Arquidiocese de Vitória, Dom Dario Campos, presidiu neste sétimo dia da    Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a missa em memória aos bispos falecidos desde a última assembleia, realizada em abril de 2018.

Bispos e Administradores Diocesanos das dioceses que tiveram bispos falecidos neste período, entraram com velas e as colocaram em um local de destaque no presbitério. As velas simbolizaram a memória daqueles que colocaram suas vidas a serviço da Igreja.

WhatsApp Image 2019-05-07 at 2.07.12 PM (2)

Durante sua homilia, Dom Dario refletiu três pontos da liturgia desta terça-feira. O primeiro está no Salmo 30, no qual o salmista se coloca inteiramente nas mãos amorosas de Deus. O segundo está no Evangelho quando Jesus diz “Eu sou o pão da vida” e o terceiro está no martírio de Santo Estevão, relatado na primeira leitura.

Sobre o primeiro ponto, sobre colocar-se nas mãos de Deus, Dom Dario comentou que devemos alimentar a confiança que depositamos no Pai por meio da intimidade com Ele, em especial pela celebração da Eucaristia.

Sobre o segundo ponto, Dom Dario lembrou que todos os irmãos que partiram foram alimentados pelo Senhor na partilha do Seu corpo e Seu sangue e hoje contemplam Aquele para o qual, durante toda a vida, se colocaram a serviço.

Ele lembrou que os desafios da evangelização são imensos e, por vezes, parecem intransponíveis. Portanto, “somente fortalecidos e alimentados com o Pão da Vida é que vamos nos deixar tocar pela intimidade do Senhor e seremos capazes de realizar a missão que Ele nos confiou”, refletiu.

Ao finalizar dom Dario falou do martírio de Santo Estevão, descrito pelo evangelista Lucas que insere no texto a figura do jovem Saulo que recebia aos seus pés as roupas daquele que morria. Segundo o bispo muitos autores dizem que Saulo foi profundamente questionado pela fé e testemunhos de muitos cristãos que ele mesmo levava acorrentados para as prisões.

“Aqui se encontra a força do testemunho do martírio semente de novos cristãos. Verdadeiros discípulos de Cristo. Podemos dizer que muitos de nós fomos tocados pelo testemunho de nossos irmãos que já partiram, pelas suas palavras, atitudes que nos marcaram e nos animaram no caminho do serviço ao Senhor”, destaca.

Ao final, ressaltou que todos “Assumiremos com alegria o desprendimento na nossa missão. Na confiança de que o Senhor jamais irá nos abandonar. Nossas vidas e o nosso testemunho serão como sementes lançadas no terreno da história como foram a vida de tantos irmãos que nos precederam e que hoje estamos fazendo memória nesta Eucaristia. Por tudo isso, descanse em paz os nossos irmãos. Amém”.

Desde a última assembleia, em abril de 2018, faleceram 11 bispos brasileiros.

Dom Ramón Lopez Carrozas, bispo emérito de Bom Jesus do Gurguéia (PI)

Dom Luciano José Cabral Duarte, arcebispo de Aracajú (SE)

Dom Miguel Fenelon Câmara Filho, arcebispo emérito de Teresina (PI)

Dom Conrado Walter, bispo Emérito de Jacarezinho (PR)

Dom Celso José Pinto da Silva, arcebispo emérito de Teresina (PI)

Dom Dirceu Vegini, bispo de Foz, do Iguaçu (PR)

Dom Antônio Possamai, bispo emérito de Ji-Paraná (RO)

Dom Frederico Heimler, bispo emérito de Cruz Alta (RS)

Dom Francisco de Paula, bispo auxiliar emérito de Brasília (DF)

Dom José Belvino do Nascimento, bispo emérito de Divinópolis (MG)

Dom Silvestre Luiz Scandian, arcebispo emérito de Vitória (ES)

COMENTÁRIOS