buscar
por

Dois novos diáconos na Arquidiocese de Vitória

Eles foram chamados por Deus, escolhidos pela Igreja, responderam sim e hoje após caminhada e preparação foram ordenados diáconos. Diáconos transitórios porque faz parte de uma etapa em preparação para o sacerdócio. Mas, Dom Luiz Mancilha Vilela ao dirigir a palavra ao Evandro Loureiro Sagrilo e ao Osmar de Oliveira Braido acentuou que eles serão para sempre diáconos, isto é servos de Deus a serviço do povo.

Familiares, comunidades de origem e paróquias por onde passaram como seminaristas compareceram à catedral para participar da ordenação diaconal e a igreja lotou. Muitos padres e diáconos permanentes também se fizeram presentes e a celebração foi um forte momento de oração.

Para cantar na celebração esteve frei Florival e parte de seu grupo que deram à cerimônia o tom da meditação e da alegria com destaque para a entoação da ladainha enquanto os dois candidatos prostrados no chão recebiam a invocação dos santos e santas de Deus.

Na homilia o Arcebispo, Dom Luiz convidou para que todos refletisse sobre a essência da vocação: a espiritualidade cristã. e lembrou da expressão poética do profeta Jeremias (18,6) “como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel”. A partir dela explicou que todos somos barro, mas pelo batismo somos um barro limpo. “Precisamos cuidar para não deixar entrar as raízes do egoísmo porque elas atrapalham o trabalho do oleiro”, disse Dom Luiz e dirigindo-se ao Evandro e Osmar disse “Hoje o oleiro resolveu chamar estes dois irmãos que vêm se deixando moldar. E lembro ao Evandro e ao Osmar que o diácono é a base de tudo, o diácono é chamado a servir o povo de Deus na caridade. Mas, vocês são barro, eu sou barro e vamos nos deixar moldar. A nossa missão é uma missão sagrada, precisamos deixar que Deus nos molde para prestarmos um bom serviço à Igreja”.

Após a ordenação, os novos diáconos foram acolhidos pelo representante dos Diáconos Permanente, o diácono Jeremias e em nome dos novos diáconos o Osmar agradeceu começando por lembrar a frase bíblica que escolheram para este momento “Cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério”, 2 Tm 4,5b, dizendo que ela além de ser uma inspiração, explica a missão a que foram chamados.

Sem esquecer de ninguém, Osmar agradeceu a Dom Luiz por ser um incentivador das vocações, pediu orações a Dom Sevilha, lembrou a capacidade misericordiosa e humana de pe. Jorge e pe. Arthur e elogiou-os por deixarem o Espírito Santo conduzir o Seminário, agradeceu aos funcionários do Seminário e do IFTAV, às paróquias de origem e por onde passaram, aos dizimistas e amigos do Seminário que permitiram que eles se formassem, aos familiares por serem amparo, porto seguro e incentivo e aos colegas seminaristas deixou palavras de esperança: demora, mas chega! Sejam perseverantes. Rezaremos por vocês. Tenham sempre como meta o que o nosso pastor Dom Luiz diz: sejam santos!

 

COMENTÁRIOS