buscar
por

Conselho Paroquial em Vila Velha realiza reflexão sobre a Campanha da Fraternidade

 As comunidades da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, no Centro de Vila Velha reuniram-se para o Conselho Paroquial na quinta-feira, dia 16 de março, e motivados pelo Grupo Fraternidade e Vida do Planeta, refletiram sobre a temática da Campanha da Fraternidade deste ano de 2017.

Durante a reflexão foi lembrado as culturas dos homens e mulheres que vivem em cada um dos seis biomas. A atitude vai ao encontro da proposta da Campanha: dar ênfase à diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam à luz do Evangelho.

Ao final do encontro uma paroquiana em diálogo com o grupo Fraternidade e Vida do Planeta, trouxe quatro iniciativas que serão realizadas na paróquia: um mutirão jovem de educação ambiental nas praias; a coleta de óleo vegetal usado e a distribuição de 1000 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica, frutíferas ou ornamentais, para serem colocadas nas calçadas. Como última ação, nas comunidades serão reduzidos significativamente a quantidade de material descartáveis.

 

Grupo Fraternidade e Vida do Planeta,

Inteiramente engajado na causa ambiental na região de Vila Velha e circunvizinhança, o nascimento do grupo deu-se por motivação de Frei Atílio Dalla Costa Battistuz, que na época era morador da Paróquia Nossa Senhora do Rosário e que, atualmente está em missão na Amazônia.

Com muita criatividade e munidos de uma reflexão ecológica, o grupo trouxe aos paroquianos, antes mesmo do conselho, iniciativas já realizadas na região como; sabão feito por óleo vegetal, vassouras feitas de garrafas pet e formas recicláveis de lidar com o lixo descartado.

Para a Paróquia Nossa Senhora do Rosário é de extrema importância que os paroquianos estejam afinados com o que nos disse o Bispo Auxiliar de Brasília (DF) e Secretário Geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, na abertura da CF 2017: “Que a CF nos leve à admiração, para que todo o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. Tocados pela magnanimidade e bondade dos biomas, seremos conduzidos à conversão, isto é, cultivar e aguardar”.

 

COMENTÁRIOS