buscar
por

A Área Pastoral Benevente recebeu instruções para a Assembleia do Povo de Deus

Na primeira reunião de área pastoral para preparar a Assembleia do Povo de Deus, as paróquias de Benevente reuniram-se na manhã de hoje com o coordenador de pastoral e o arcebispo de Vitória e teve muita coisa boa. O ambiente nos lembrava que estamos na Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, as apresentações de cada paróquia diagnosticavam o que precisa ser feito, as palavras de Dom Dario manifestavam o desejo de trabalhar em união com o Papa Francisco e com a Igreja do Brasil, as orientações de padre Renato Cristo indicavam que a Assembleia já começou e, no final, um bolo e o parabéns anteciparam as comemorações pelo aniversário de Dom Dario que é amanhã.

A ordem de apresentação das paróquias foi espontânea e padres e leigos descreveram o retrato das paróquias. Os trabalhos das pastorais, grupos, movimentos e equipes de serviço acontecem em todas as paróquias, assim como  a fraternidade nas comunidades e as devoções populares, mas em diversas expressões foi manifestado o desejo de ir além e fazer das paróquias “a Igreja em saída” que pede o Papa Francisco.

Alguns desafios foram apresentados: o número de idosos na região precisando de assistência, as distâncias e estradas em mau estado para chegar em comunidades com poucas famílias, o número de pessoas que passam férias nas praias da região, a falta de uma pastoral de conjunto, o aumento de drogas e pobreza.

Após escutar a todos, dom Dario dirigiu primeiro uma palavra de agradecimento e incentivo dizendo que os leigos são as pernas, os braços e a boca dele e dos padres porque chegam em lugares que eles não conseguem chegar.  Depois disse que com simplicidade e com seu jeito alegre e irmão veio para Vitória obedecendo ao Papa e disposto a acolher cada um e caminhar junto. Mas alertou que gosta da verdade e não gosta de fofoca. “A fofoca só destrói e a verdade nos liberta”, disse. Em seguida lembrou que a Arquidiocese tem uma história que a sustenta “temos uma história, temos mártires (Pe. Gabriel e Ir. Cleuza), temos tantos leigos e leigas que passaram no anonimato. Não precisamos inventar a roda. Não devemos viver com saudade do passado nem com os desejos do futuro porque Deus nos colocou para trabalhar agora”. Quanto às fofocas lembrou também as que se fazem contra o Papa e contra a CNBB e pediu cuidado para não entrar nessas atitudes que prejudicam a caminhada. “Estamos numa sociedade que desafia e por isso, temos que ser uma Igreja misericordiosa, mas ser misericordioso não é ser bobo e em alguns quesitos, como abusos ou má administração, o Papa é tolerância zero”, afirmou dom Dario enquanto pedia mais conhecimento bíblico e dos documentos da Igreja e uma vivência espiritual que fecunde a ação missionária.

Como última recomendação o Arcebispo sugeriu que as paróquias organizem retiros anuais abertos a todos os fiéis e não para grupos.

Antes da bênção e de pé os representantes das paróquias cantaram parabéns pelo aniversário de dom Dario.

COMENTÁRIOS