buscar
por

Apoio e solidariedade do Conselho Presbiteral ao Arcebispo de Vitória

Nota de Apoio ao Senhor Arcebispo Metropolitano de Vitória do Espírito Santo, Dom Luiz Mancilha Vilela, SS.CC

“Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; é, antes, necessidade que se impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho”.
(1Cor 9,16)

• Diante da repercussão causada pelo vídeo no qual o Senhor Arcebispo Metropolitano de Vitória-ES alerta aos fiéis católicos – e também aos demais homens e mulheres de boa-vontade – sobre o perigo de os cristãos incorrerem em atitude contrária aos valores propostos pelo Evangelho e, consequentemente, sobre o perigo de incorrerem em pecado gravíssimo ao apoiarem a legalização do aborto; tema que voltou à pauta nacional em uma audiência pública convocada pela Ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), a Sra. Rosa Weber; na qual se tratou da descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação, discutida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442;

• Diante dos desdobramentos causados pela atitude profética e corajosa do Senhor Arcebispo em favor da vida; especialmente em favor da vida daqueles que ainda não podem se defender;

• Diante da repercussão causada por uma foto, publicada nas redes sociais, na qual estão o Senhor Arcebispo e um Senador da República, que solicitou-lhe audiência; fato pelo qual algumas pessoas o acusam e à Arquidiocese de Vitória-ES de estarem unidos a um Senador; desconsiderando essas mesmas pessoas o simples fato de que, como responsável por esta Igreja Particular, o Senhor Arcebispo tem como princípio receber a todos que o procuram, indiferentemente de postura política, não significando esse princípio apoio ou concordância com propostas políticas de qualquer candidato ou partido; situação esta que, supostamente, tenha causado a renúncia do então Presidente da Comissão de Justiça e Paz desta Arquidiocese de Vitória-ES;

• Diante da repercussão causada pela decisão do Senhor Arcebispo em extinguir a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória-ES, em vista de uma melhor adequação dos segmentos de ação social, conforme proposto pela Carta Apostólica Em Forma de “Motu Proprio”, do Sumo Pontífice, o Papa Francisco, com a qual se institui o Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral; Organismo, este, que visa implementar o desenvolvimento integral do homem à luz do Evangelho; este Dicastério tem competências de modo particular nas áreas relacionadas com as migrações, com os necessitados, com os enfermos e excluídos, com os marginalizados, com as vítimas dos conflitos armados e dos desastres naturais, com os encarcerados, com os desempregados e com as vítimas de qualquer forma de escravidão e de tortura; estas eram competências dos Pontifícios Conselhos – o Pontifício Conselho de Justiça e Paz, o Pontifício Conselho “Cor Unum”, o Pontifício Conselho para Pastoral dos Migrantes e Itinerantes e o Pontifício Conselho para Pastoral no Campo da Saúde; este novo Dicastério é regido pelo Estatuto que o Papa Francisco aprovou, em Ad Experimentum, desde o dia 1º de janeiro de 2017; a partir da data mencionada, esses quatro Dicastérios citados cessaram as suas funções e foram suprimidos;

• Diante do pedido de renúncia do Presidente da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória-ES, o Sr. Arcebispo apenas adiantou uma decisão que vinha sendo avaliada junto ao Conselho Presbiteral (conforme consta em Ata da 516ª reunião do Conselho Presbiteral, realizada no dia 21 de junho de 2018); ao agir com rapidez para que esse organismo da Igreja continuasse sua missão de forma eficaz, Dom Luiz – usando do Múnus de educar, santificar e governar o povo de Deus – suprimiu a referida Comissão e integrou suas ações a um novo organismo a ser criado junto ao Departamento de Pastoral desta Igreja Particular de Vitória-ES;

• Diante da recente nota da Direção Nacional do Centro de Estudos Bíblicos (CEBI); que, olvidando-se do fato de que, no atual episcopado, nesta Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo recebeu apoio para realizar sua missão, utilizando-se dos meios de comunicação e de outros recursos da Igreja de Vitória-ES, numa atitude que demonstra, no mínimo, desconhecimento dos motivos reais pelos quais o Senhor Arcebispo tomou a decisão de suprimir a Comissão de Justiça e Paz; a Direção Nacional, assumindo um “lugar” que não lhe compete nesta questão, ataca o Senhor Arcebispo, ferindo a comunhão eclesial tão cara a este importante organismo de promoção do diálogo ecumênico e de estudo da Palavra de Deus que é o CEBI;

O Conselho Presbiteral desta Arquidiocese de Vitória-ES faz coro às inúmeras manifestações de apoio e de solidariedade que o Senhor Arcebispo vem recebendo nos últimos dias; e, ao mesmo tempo, repudia as manifestações incabíveis, por meio das quais são atacados o Senhor Arcebispo e a Arquidiocese de Vitória-ES; sobretudo após sua corajosa manifestação pública em favor da vida.
Vitória-ES, 09 de agosto de 2018.

Pelo Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Vitória

Padre Ivo Ferreira de Amorim (Vigário Geral)
Padre Jorge Campos Ramos (Vigário Geral, Reitor do Seminário Nossa Senhora da Penha e Secretário do Conselho Presbiteral)
Padre Hiller Stefanon Sezini (Vigário Judicial e Presidente do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Vitória do Espírito Santo)
Padre Paulo Regis Silvestre (Vigário Episcopal para Assuntos Econômicos)
Padre Josemar Rubens Stein (Vigário Episcopal para a Ação Evangelizadora)
Padre Renato Criste Covre (Coordenador de Pastoral)
Padre Robson Prati Neves de Oliveira (Representante dos Presbíteros na Comissão Regional de Presbíteros [CRP])
Monsenhor Adwalter Antônio Carnielli (designado pelo Sr. Arcebispo)
Padre Dauri Batisti (designado pelo Sr. Arcebispo)
Padre Genilson José Dallapicola (Representante da Área de Vila Velha)
Padre Teodósio César de Aquino (Representante da Área de Vitória)
Padre Robinson de Castro Cunha (Representante da Área de Benevente)
Padre Alceri Francisco Alves (Representante da Área de Serra-Fundão)
Padre Marcos Roberto Barbosa de Brito, SVD, (Representante da Área Serrana)
Frei José Wiliam Corrêa de Araujo (Representante da Área de Cariacica-Viana)

COMENTÁRIOS